Aliança do Crime | A redenção de Johnny Depp

Há tempos Johnny Depp vem emplacando apenas bombas no cinema. Parecia que sua carreira estava afundando assim como o navio do Capitão Jack Sparrow em Piratas do Caribe. Afinal, como um ator pode ter a mão tão podre e escolher atuar em tantos filmes ruins um atrás do outro?

Tal declínio tem início em 2010 com O Turista aonde contracena com Angelina Jolie, passando por Diário de um Jornalista Bêbado, Sombras da Noite, O Cavaleiro Solitário (o qual o ator culpou a mídia pelo fracasso financeiro do longa), Transcendence: A Revolução e Mortdecai: A Arte da Trapaça. Ufa!

Felizmente, na cinebiografia Aliança do Crime onde vive o mafioso James “Whitey” Bulger, que foi durante muitos anos o homem mais procurado do FBI, Depp se entrega totalmente ao papel cometendo deslizes apenas graças a caracterização forçada para que a semelhança entre ele e o retratado fosse fiel, ainda que tenha ficado um tanto caricato. Bem diferente dos filmes aos quais estamos acostumado a vê-lo, o ator consegue apagar as impressões ruins do passado e dar um novo recomeço em sua carreira.

crim1
David Harbour e Joel Edgerton em cena crucial de Aliança do Crime.

O longa possui um elenco de estrelas para contar uma das muitas histórias reais e podres dentro do FBI. A começar com Joel Edgerton na pele do Agente John Connolly encarregado de prover Whitey como informante para a agência. Acontece que Connolly e Jimmy cresceram juntos e o agente sempre admirou o mafioso mesmo estando ambos de lados opostos da lei. Todavia, isso não impediu que Connolly usasse de sua ligação com Jimmy para subir profissionalmente dentro do FBI.

Porém, não há tapete grande o suficiente que consiga esconder tanta sujeira e logo a poeira começa a levantar e apontar os culpados. Whitey possuía ligações até no Senado por conta de seu irmão mais novo Billy, interpretado aqui por Benedict Cumberbatch em um papel bem pequeno, mas no qual soube se destacar. Outros nomes de peso no elenco são Kevin Bacon, Corey Stoll, Peter Sarsgaard e Dakota Johnson para citar alguns.

crim2
Adam Scott, Kevin Bacon e David Harbour como os agentes do FBI encarregados de transformar Whitey em informante.

A trama é deveras interessante, com um roteiro limpo e cheio de detalhes e minúcias relacionadas ao caso. Entretanto, peca um pouco em sua narrativa arrastada e lenta, mesmo que a escolha de uma cronologia não-linear sustente, de alguma forma, essa lentidão.

Aliança do Crime é o tipo de filme que vai agradar tanto aos fãs do ator quanto aqueles que gostam do gênero. E deixo aqui registrada a minha esperança de que a partir de agora Johnny Depp saiba controlar melhor o navio da sua carreira e o conduza mar adentro, em água calmas e não encalhe mais na costa.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Melissa Andrade

Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão. E sempre disposta a aprender muito mais. Por isso é Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado. Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.