“Somos tão jovens”

https://www.facebook.com/mal.educado.sp/photos/a.292399444227141.1073741827.291834600950292/726122007521547/?type=3
Foto: Marlene Bergamo / Fonte: O Mal Educado

Os anos passam, os protagonistas mudam ou não. Mesmo que sejam recentes ou com cerca de trinta, quarenta anos, essas composições ainda fazem e sempre farão sentido.
Acontecimentos recentes fizeram-me mudar a pauta desta semana. Hoje, meu texto ilustra os jovens que lutam pelo coletivo, pela educação.
Vivemos no estado de São Paulo uma luta. Jovens ocupam escolas contra a reorganização e o fechamento de 93 instituições de ensino.
Imagens e vídeos mostram a ação repressora do estado contra jovens lutando pelos seus direitos, pelo coletivo, por um dos direitos básicos e primordiais, a educação. Prestei meu apoio pela internet e visitando uma das ocupações. O clima é mais complicado do que vocês imaginam. O risco e o medo são iminentes.
Em meio à esse momento me peguei ouvindo diversas dessas músicas. Muitas remetem à uma era negra que vivemos no Brasil, outras aos acontecimentos cotidianos do nosso país, das periferias, do povo.
Às vezes pequenos trechos fazem alusão à uma reflexão mais profunda, às vezes letras inteiras. Enquanto lia e assistia diversos materiais disponibilizados pela imprensa alternativa, em minha cabeça ecoava: ” Vem, vamos embora / Que esperar não é saber / Quem sabe faz a hora / Não espera acontecer”
Em 1968, Geraldo Vandré compôs “Pra não dizer que não falei das flores”, música que se transformou no hino das manifestações contra a Ditadura Militar.

Músicas como “Alvorada Voraz”, “Que país é esse?”, “Veraneio Vascaína” , “Bichos Escrotos”, “Cadê as Armas?”, “Maldita Polícia”, “Convoque seu Buda”, são apenas poucos exemplos do que exponho hoje.
Aproveitando as citações, Paulo Miklos e Criolo foram parte dos artistas que integraram a “Virada Ocupação” que aconteceu no domingo, 06 de dezembro. <3

Os jovens hoje escrevem mais um capítulo a ser lembrado, mais um capítulo para nos orgulharmos. Este texto é contra a repressão, é pela resistência, pela luta, pela educação, pela arte, pela música.
Os anos passarão, parece que as coisas não mudarão, as trilhas perdurarão e você ficará “Nesse mundo assim, vendo esse filme passar”?

RPM – Alvorada Voraz

Legião Urbana – Que país é esse? (Aborto Elétrico)

Capital Inicial – Veraneio Vascaína (Aborto Elétrico)

Titãs – Bichos Escrotos

Inocentes – Maldita Polícia

As Mercenárias – Cadê as Armas?

Criolo – Convoque Seu Buda


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.