Resenha: A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison, de Enéias Tavares

A Lição de Anatomia do Temível Doutor Louison, de Enéias Tavares, é a estréia do autor como romancista e o primeiro volume da série Brasiliana Steampunk. Venceu o concurso “A Fantasy quer o seu mundo”, LeYa Brasil, em 2014.

Em um passado alternativo, no qual o Brasil entra no século XX levado por dirigíveis, autômatos e traquitanas movidas a vapor, a obra é o encontro da estética steampunk com personagens de clássicos da literatura brasileira numa trama de crime, mistério e terror. É um romance epistolar (Drácula, de Bram Stocker, é um dos mais conhecidos representantes desse gênero, que explora diversos pontos de vista ao narrar a história por meio de cartas dos personagens, diários, relatórios, etc.). Parte da narrativa reproduz um linguajar clássico, bastante descritivo, sem pressa de partir para a ação. Se no começo tive a impressão de que isso me cansaria como leitora, logo me acostumei ao tom e mergulhei na história.

A trama começa quando figurões da cidade de Porto Alegre dos Amantes são assassinados; mais que isso, partidos em pedaços, com sinais de tortura lenta. As evidências apontam para o personagem título: Louison, um homem refinado, médico respeitado pela alta sociedade e membro do Parthenon Místico, um grupo de aventureiros e pesquisadores do oculto engajados em ações de justiça social. O Parthenon reúne, entre outros, personagens como o imortal Solfieri (Noites na Taverna, de Álvares de Azevedo), a feiticeira indígena Vitória (Contos Amazônicos, Inglês de Souza), Sérgio e Bento (os estudantes de O Ateneu, Raul Pompeia). Considerado louco e perigoso, Louison é trancafiado no hospício comandado pelo repulsivo Simão Bacamarte (ele mesmo, O Alienista de Machado de Assis).

É nesse ponto que o jornalista Isaías Caminha (Recordações do Escrivão Isaías Caminha, Lima Barreto) chega do Rio de Janeiro para escrever sobre o escândalo que abalou o sul. Isaías se envolve mais do que pretendia com o caso, buscando relatos entre os frequentadores do Palacete dos Prazeres, um prostíbulo de luxo comandado por Rita Baiana, Léonie e Pombinha (O Cortiço, Aluísio de Azevedo).

Às vésperas da execução, porém, o criminoso desaparece do cárcere.

Não há dúvida de que Louison é o culpado. O mistério, na verdade, é: por que fez isso? E por que o Parthenon Místico ficaria ao lado do assassino?

Capa do livro "A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison", de Enéias Tavares.
Capa do livro “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison”, de Enéias Tavares.

A comparação com A Liga Extraordinária de Alan Moore é inevitável, assim como a semelhança entre Louison, médico, cavalheiro e criminoso, com Hannibal “The Canibal” Lecter; e a influência dos romances de Thomas Harris é plenamente assumida por Enéias. Mas A Lição tem vida própria. Além dos personagens emprestados, o autor apresenta Beatriz de Almeida e Sousa, escritora negra e feminista, o Pedro Britto Cândido, um detetive durão dividido entre a lei e a justiça, e Madame de Quental, uma ricaça mais perigosa do que parece — criações do próprio Enéias que nada devem às dos autores precedentes.

Assim, A Lição pode ser apreciada numa leitura superficial como uma ótima história de mistério e aventura, mas merece ser lida também em nível mais profundo, como uma obra que denuncia a desigualdade social e de gênero, o preconceito étnico e a crueldade elitista, sem com isso virar panfleto. Enéias consegue aliar com maestria a ação mirabolante à crítica social. Toca com naturalidade em assuntos complexos como racismo, homo e bissexualidade, prostituição e feminismo, sem deixar de lado o desenvolvimento e as reviravoltas da trama. O amor e o sexo também têm forte presença nessas páginas. A grande quantidade de personagens faz com que alguns deles não recebam tanta atenção nessa primeira história, mas espero vê-los ganhar destaque nos próximos quatro livros da série. Enéias também vem publicando conteúdo extra na página de Brasiliana Steampunk no Facebook, incluindo retratos dos personagens feitos por diversos ilustradores, além de contos e uma entrevista com Beatriz.

Decidi conversar mais a fundo sobre esses temas com o autor em uma entrevista para o MinasNerds. Daqui a alguns dias você confere o resultado. 😉

P.S.: A edição é bonita e a capa é bem desenhada, mas a estética de HQ americana não reflete o conteúdo do livro.


 

A Lição de Anatomia do Temível Doutor Louison. Enéias Tavares, LeYa Brasil, 320 páginas, 2014, disponível também em e-book.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Camila Fernandes

Escritora, tradutora, preparadora e revisora de textos. Feminista, vegetariana, ateia. Autora do livro “Reino das Névoas, contos de fadas para adultos”. Tentando escrever dois romances. Quando há tempo, desenho. Quando há dinheiro, viajo.