Hollywood e os Remakes

O velho guerreiro já dizia: “Na televisão, nada se cria, tudo se copia.” E certamente o mesmo pode se aplicar a grande máquina Hollywoodiana de produção de filmes.

Parece que de uns tempos para cá foram as favas com a criatividade e decidiram apenas refazer o que já estava pronto. Mas, antes de começarmos a nos enveredar nessa história, vamos explicar do que se trata um remake ou refilmagem.

O termo remake se refere a qualquer produção, televisão ou cinema, que esteja usando de algo já pronto, seja no espectro inteiro ou apenas utilizando de poucas cenas para um novo produto. No entanto, o termo geralmente significa uma nova versão de algo antigo. E tem sido o que mais temos visto com filmes como “Poltergeist”, “RoboCop”, “Annie”, “Godzilla”, “Planeta dos Macacos”, “Quarteto Fantástico” e o tão aclamado “Mad Max: Estrada da Fúria”.

madmaxx

Nos levando a pensar “O que diabos anda acontecendo com Hollywood que não mais tem produzido filmes originais?”

Bem, provável que você não saiba, mas isso é costume da indústria desde muito antes dessa geração atual ter nascido. Filmes como “O Pai da Noiva” com Steven Martin é na verdade remake de um filme de 1950. “Onze Homens e Um Segredo”, remake do filme homônimo de 1960. E a lista só cresce e segue em frente. Mas, qual a razão da produção contínua de tantos filmes “iguais”? Bem, não existe uma resposta certa para a pergunta pois depende de muitos fatores envolvidos como, por exemplo, o estúdio querendo ressuscitar uma franquia, um diretor que quer dar roupagem nova a um filme que sempre amou, necessidade de atualização com mais efeitos especiais, alguém adquiriu os direitos e quer refazer, são inúmeras razões.

Posso citar o caso do Padilha com o novo “RoboCop”. Na entrevista coletiva do filme o diretor contou que foi convidado pela Sony Pictures para dirigir um determinado filme e que na sala onde ocorria a reunião havia um pôster de “RoboCop”, que eventualmente seria feito, mas por outra pessoa. Padilha apontou para o pôster e falou “quero fazer aquele ali.” Depois ele voltou com um roteiro pronto e o estúdio comprou a ideia. Nascia assim o remake de “RoboCop” que foi lançado em 2014. A mesma história se aplica ao “Karatê Kid” no qual Will Smith bancou a produção inteira e colocou o filho para atuar.

robocopp

Tudo bem, e que impacto isso tem no mercado cinematográfico? O que muda nas escolhas entre produções remakes ou originais? Para nós espectadores, não muda absolutamente nada. Quanto mais filmes melhor.

Porém, se pensarmos numa visão mais ampla da situação, enquanto Executivos dos estúdios, fica evidente a dificuldade que as produções originais terão que enfrentar para disputar espaço com títulos que já possuem público cativo e, logo, bilheteria e lucro garantido aos estúdios. Afinal, seria mais fácil apostar em time que ganhou uma vez e pode vir a ganhar de novo certo?

Enquanto escrevo esse artigo existe uma lista de mais de 30 títulos que correm o risco de serem atualizados. Nele temos filmes como “Querida Encolhi As Crianças”, “Porky’s”, “Jogos Patrióticos”,“Uma Babá Quase Perfeita” e “Jumanji”. Esse último sou inteiramente contra, pois é uma memória afetiva que possuo e com o falecimento do Robin Williams sendo tão recente creio que será difícil colocar alguém a altura para o papel.

jumanjir

E aí? Quais são os remakes que vocês querem ver ou passar longe?


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Melissa Andrade

Uma pessoa curiosa que possui incontáveis pequenos conhecimentos desde literatura a filmes a reality shows a futebol alemão. E sempre disposta a aprender muito mais. Por isso é Jornalista por experiência e vocação. Fotógrafa Profissional com muita paixão e um olhar apurado. Roteirista frustrada e uma Crítica de Cinema em ascensão.