Guitar days – vem aí!

Sem dúvida eu vou apoiar o projeto do Caio Augusto Braga no Catarse. Eu adoro indie anos 90 e aqui no Brasil tivemos bandas muito legais na época. No doc, o Caio cobre bandas como Pin-Ups, Second Come, Brincando de Deus, Far From Alaska, Garage Fuzz, Hateen, Killing Chainsaw, Low Dream, Mickey Junkies, Lava Divers, PELVs, Stellar, Valv, Wry… Não dá para saber tudo ainda porque só vi o teaser.

Uma pena que algumas bandas muito boas tinham uns equipamentos muito ruins.
Naquela época tudo de equipamento era carão no Brasil, então a galera que tinha contatos na gringa ou algo assim, conseguia uma vantagem sobre as outras bandas.
O mais engraçado eram as discussões entre os técnicos de som que não estavam acostumados com o som distorcido das guitarras, o vocal meio estragado… era o que a gente gostava! Shoegaze na veia. Sem contar as casas de show, saudades das espeluncas cheias de gente empolgada em fazer guitarrinha com a mao (ou vazio, claro, as vezes tinha uns shows com a banda e os amigos da banda, tipo show vazio).

Prestem atenção que não tem muitas minas nas bandas, ok, normal PARA A ÉPOCA na terra brasilis. Tem a Alê dos Pin Ups, a Bia do Stellar… Mas uma coisa que me deixou meio chateada com o projeto foi a ausência quase total de opiniões femininas sobre a cena da época, pelo menos é a impressão que fica no teaser.
Pode ver, só achei a Fernanda Azevedo da Motor Music.
Parece total o clube do Bolinha e saibam que sim, tinham bandas de meninas como Pancake e outras mais, não esqueçam das Riotttttt; o que eu queria mesmo era ver umas minas falando no doc.

Estou aqui dando minha contribuição no catarse e fazendo votos sinceros para que opiniões femininas sejam incluídas na versão final 🙂

Vejo vocês no show na ZCarniceria cheia de esperança.

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Raquel Gariani

Ogra feliz <3