Você consegue citar cinco artistas mulheres?

Já discutimos aqui algumas vezes o problema de apagamento das mulheres nas artes: apesar da imagem progressista, o meio artístico ainda é bem machista e as mulheres  sofrem com menos oportunidades, divulgação e acesso às galerias e curadorias. Some isso a um ensino de história da arte que pouco fala das artistas mulheres e temos um cenário em que é difícil até mesmo citar mulheres quando vamos falar sobre arte.

Foi pensando nisso que o National Museum of Women in the Arts, em Washington, criou uma campanha simples e direta nas redes sociais, a #5WomenArtists e questiona: e aí, você consegue nomear cinco artistas mulheres? Pois é, isso não deveria ser um desafio, mas infelizmente é difícil pra maioria das pessoas nomear cinco mulheres no mundo das artes. É nessa dificuldade que está a força da campanha: por que não conhecemos as mulheres artistas? Por que elas ficaram restritas ao papel de “musas” e retratadas, e não ao de produtoras?

O grupo Guerrilla Girls, por exemplo, se dedica a publicar estatísticas a respeito da participação feminina em mostras e exposições em posters e intervenções urbanas. E elas não são nada animadoras no momento: menos de 5% dos artistas na sessão de arte moderna do Metropolitan Museum of Art in New York são mulheres. E 85% dos nus são femininos. Servimos para estarmos nuas nos museus, mas não para expormos? Outro dado alarmante é que nas duas últimas décadas apenas 28% das exposições solo foram de mulheres, em 8 grandes museus selecionados pelo coletivo. Isso porque as mulheres representam mais ou menos 51% dos profissionais de artes visuais no momento!

Nesse Dia Internacional da Mulher, propomos também o desafio de  nomear cinco artistas. Busque por elas! Fale das artistas mulheres para seus amigos, divulgue-as nas redes sociais! Usem a #5WomenArtists para apoiar o National Museum of Women in the Arts! E também que tal lançarmos a hashtag #5ArtistasBrasileiras para apoiar a arte feminina nacional? Aliás, minha contribuição:

1 -Lygia Clark

Minha artista brasileira preferida, foi da pintura neoconcretista à experimentação com objetos e uma proposta de arte terapia e exploração do self.  Tem um trabalho tão inovador que se intitulava como não artista.

2- Adriana Varejão

Azulejões (instalação CCBB-RJ) vista geral, 2000

Famosa por seus azulejos e sua arte de inspiração colonial, é um dos nomes brasileiros mais conhecidos no circuito mundial.

3- Artemis Moroni

AURAL, instalação de arte robótica

Artista computacional e pesquisadora na Divisão de Robótica e Visão Computacional do Centro de Tecnologia de Informação Renato Archer (DRVC/CTI). Em paralelo, atua em Arte e Tecnologia desde 1989. Trabalha com instalações robóticas e com a intersecção entre computação e criatividade.

4- Gisele Beiguelman

Cinema sem volta, 2014

Referência brasileira em net art (ou web art), artista e pesquisadora com produção extremamente rica e diversa em arte digital.

5- Rosina Becker do Vale

A Floresta, 1986

O Brasil precisa conhecer mais o trabalho naïf dessa artista incrível, que começou a pintar por lazer ainda como dona de casa antes de decidir se dedicar exclusivamente a arte. O estilo de Rosina é ao mesmo tempo vibrante e delicado, do tipo que é difícil não se apaixonar após a primeira vista.

 

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Beatriz Blanco

Designer, professora, gamer e pesquisadora. Fã da franquia The Legend of Zelda, histórias de terror, aliens e kaijus. Acorda e dorme online.