O filme solo da Arlequina vem aí

Depois de tanto esperar por filmes protagonizados por super-heroínas parece que nossos desejos finalmente serão atendidos. Os próximos anos prometem filmes solo da Mulher-Maravilha, Capitã Marvel e, como ficamos sabendo por esses dias, um filme estrelando  palhaça do crime como protagonista.
A imprevisível  Arle  já se tornou uma favorita do grande público, mesmo antes da estréia de Esquadrão Suicida e  a atriz Margot Robbie, que foi responsável pela proposta de um filme solo da personagem,  comentou sobre os preparativos do filme e parece que podemos esperar algo cheio de mulheres poderosas, tanto vilãs quanto heroínas do universo DC. Por enquanto só podemos sonhar com o que vai vir por aí, mas que tal conhecer algumas histórias que podem servir de base para o roteiro do filme?

200

O filme solo da Arlequina poderia ser a oportunidade da DC conquistar um público mais adulto, acima do PG 13 dos filmes da casa até então. O sucesso do filme do Deadpool provou que é possível oferecer um produto para uma audiência mais velha e ainda assim ter um ótimo retorno financeiro. Vamos, então, dar uma olhada nas HQs que poderiam inspirar o roteiro do filme.


LOUCO-AMOR O amor é uma coisa doida mesmo, muitas vezes faz de nós pessoas melhores e mais responsáveis,  mas às vezes simplesmente precisamos vestir uma fantasia e espancar heróis com uma marreta gigante em nome desse sentimento tão nobre. Arle nasceu como uma parceira para o Coringa na série animada do Batman em 1992. Totalmente devotada ao seu amor, ela parecia  ser cega para a falta de compaixão do Coringa, até mesmo com ela. A personagem fez tanto sucesso no desenho que logo foi transportada para as páginas das HQs, coquistando um fandom cada vez maior até que Paul Dini e Bruce Timm criaram Batman: Louco Amor para contar a história de Harleen Frances Quinzel, psiquiatra residente do Asilo Arkham que se apaixonou pelo  príncipe palhaço do crime, também conhecido como Pudinzinho, ou o Coringa (o Jóquer, o Palhaço). Nessa premiada história, Dini mostra uma Arlequina deteminada a ir às últimas consequências para agradar o Coringa, ao mesmo tempo em que mostra quão cruel o Palhaço pode ser até com aqueles que estão ao seu lado. A história também acabou indo para os desenhos animados e no You Tube está disponível uma versão motion comic da história.

arleBatman: Arlequina foi uma história também escrita por Paul Dini e  mostra o início da amizade entre Hera Venenosa e Arlequina e seria bom poder ver uma adaptação para o cinema já que a amizade-paixão entre Arlequina e Hera é um dos elementos mais adorados pelas fãs da personagem. Arle e Hera se conheceram durante o terremoto que devastou Gotham. Forçada por Batman a alimentar a população, Hera saiu do Arkham e encontrou  Arlequina inconsciente em um monte de entulho depois de ser traída pelo Coringa e quase morrer.  Interessada na história da palhacinha, Hera acaba ajudando em seu plano de vingança contra o Senhor C. e fornece a Arlequina um soro que, além de imunizá-la contra o veneno da própria Hera, também aumenta suas capacidades físicas como força e agilidade. A Hq mostra como Arlequina é inteligente e capaz de enganar o próprio Batman, além da imprevisibilidade da doida.

 

51QxJFHJRUL._SX323_BO1,204,203,200_

Originalmente parte da série Batman Renascido, As Sirenes de Gotham, mostra como Hera Venenosa, Arlequina e Mulher gato precisaram se unir para derrotar um vilão chamado Quebra-Ossos que quase mata a Mulher-Gato.O interessante dessa história é ver alguns dos vilões do Batman agindo de forma quase legal. O verdadeiro vilão dessa história é o Coringa que tem um ataque de ciúmes quando vê sua ex-namorada na companhia de Thomas Elliot, o Silêncio, que a tinha sequestrado. Coringa está disposto a matar Arlequina, mas se esqueceu que não é tão simples assim mexer com as rainhas do crime de Gotham City.
Esse arco pode fornecer boas referências para o filme quanto à amizade de Arle e Hera, assim como uma possível ponta para o surgimento da Mulher-Gato na história.

 

 

terremotoTerremoto foi uma série que teve bastante impacto nas histórias do Batman na década de 1990. Quando um terremoto de 7.6 na escala richter destrói Gotham o caos é instaurado. Como eu disse ali em cima, Arlequina estava presa no Asilo Arkham por ter facilitado a fuga do Coringa quando ainda era médica residente. Quando o Terremoto destrói parte do Asilo ela escapa e depois de uma série de imprevistos   acaba conhecendo a Hera Venenosa.
Como anunciado, o filme da Arlequina provavelmente vai trazer outras mulheres para as telas. O roteiro está sendo escrito por uma mulher, cujo nome ainda é segredo, mas rolam boatos de  que as Aves de Rapina já foram cotadas para aparecer no filme. Se a história se passar após  os acontecimentos de Esquadrão Suicida, não seria impossível termos Bárbara Gordon como Oráculo liderando o grupo feminino composto por  Canário Negro e Caçadora e Lady Falcão Negro (formação da Gail Simone) após a catástrofe. Quão legal seria aproveitar o filme da palhaça para apresentar ao público as mullheres de Gotham City? Também podemos pensar em outras personagens como a Katana por sua participação no filme do Esquadrão Suicída, Cassandra Cain como Batgirl  e até mesmo Stephanie Brown como a Salteadora. Se pensarmos que o Batman do atual universo cinematográfico da DC já é mais velho, é possível que  Bárbara Gordon já  tenha abandonado o manto de Batgirl após os eventos apresentados na Piada Mortal e assumido o posto de Oráculo, assim como uma parceria difícil com a Arlequina poderia ser  uma ponte para a vingança das duas contra o Coringa.

 

Terra Ninguém

Terra de Ninguém apresentou os eventos pós-terremoto, quando Gotham é considerada insegura e abandonada pelo governo americano. A cidade então é dividida entre gangues e os vilões do Arkham e da prisão Blackgate, enquanto a população fica entre o fogo cruzado, o que com certeza não pode dar nada certo.
A vantagem desse arco para o filme é que por boa parte da história o Batman não está presente e se servir como inspiração para o filme, podemos ver uma Gotham tomada pelos maiores vilões do universo do morcego sendo combatidos por Oráculo e suas comapnheiras, além do Coringa que seria um vilão óbvio para um filme solo da Arlequina. Hugo Strange 
ex psicólogo do Arkham (Eita RH incompetente) poderia aparecer manipulando  outros detentos do hospício mais famoso dos quadrinhos. O Chapeleiro Louco, o Espantalho, Charada e até mesmo o Ventríloquo  poderiam adicionar uma pitada de insanidade ao filme. O Pinguim também foi um vilão que ganhou destaque na saga como um gênio do crime que usava a desgraça das pessoas em meio ao caos para ganhos próprios.

 

batman_6630002

 O Palhaço da Meia Noite foi uma história escrita por Grant Morrisson em forma de conto na época de Batman e Filho, nessa história vemos o Coringra preparando seu retorno ao mundo do crime após se recuperar de um ferimento de bala. Ele manda Arlequina eliminar seus antigos colaboradores para que possa começar tudo de novo. Após um confronto com Batman, Arle acaba descobrindo que ela também faz parte dos planos de eliminação do Coringa e acaba ajudando o morcego a derrotar o Senhor C. Nessa história podemos ver uma Arlequina diferente daquela retratada nas anteriores, sempre desmiolada e engraçada, Arle ganha ares mais sombrios no roteiro de Morrison, a arte em 3D de John Van Fleet também  seria uma ótima referência  para sequências mais “dark” no filme.


Podemos ter novidades no que se refere ao visual da Arlequina em seu filme solo. Margot Robbie chegou a declarar que no próximo filme a roupa seria diferente. O visual dela também foi bastante criticado pelas fãs por ser extremamente fetichizado e pouco condizente com a função exercida pela criminosa, como explica esse texto postado aqui no Minas. O uniforme da Arlequina mudou ao longo do tempo, por isso acredito que seja possível algo menos problemático e mais icônico aparecer nas telas, mas se, mesmo que por alguns instantes, ela aparecer usando a roupa de bobo da corte homenageando a origem da personagem na série animada do Batman eu ficaria extremamente feliz.

uniformes

A estréia de Esquadrão Suicida no Brasil está marcada para o dia 4 de Agosto de 2016 quando finalmente poderemos conferir a história da Arlequina no cinema, a partir daí é só esperar pelas novidades da produção do filme solo e torcer para que a personagem seja retratada da forma que merece.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.