Jogo do Dinheiro

Esse Texto Não Contém Spoilers Sobre o Filme

E finalmente começou a disputa para o Oscar – ou pelo menos assim parece. Com George Clooney e Julia Roberts nos papéis principais e dirigido pela sempre brilhante Jodie Foster, o filme trás também Jack O’Connell que já trabalhou em “Invencível” e também na famosa série britânica “Skins”. Uma versão mais atemporal e menos frenética do seu primo “O Grande Golpe”, “Jogo do Dinheiro” conta através de um programa de televisão como funciona a bolsa de valores americana, ou pelo menos aparenta esse propósito.

Lee apresentando "O Jogo do Dinheiro"
Lee apresentando “Jogo do Dinheiro” 

George, tentando aqui fugir do papel de esposo da “namoradinha da América” e bom moço, faz o papel de Lee Gates: um apresentador canastrão de um programa grotesco onde brinca com a ideia de apostar em ações, dando dicas de ações quentes e garantidas para que seus telespectadores fiquem milionários. Por trás do homen está Julia Roberts como Patty Fenn, sua fiel produtora há anos. Claramente ela é a relação mais longa e íntima dele e, mesmo assim, Lee como bom egocêntrico que é, não cogitaria molhar seu terno de mil dólares nem para salvar a vida dela. Isso tudo muda quando Kyle (O’Connell) entra em cena no meio do show, descarrilhando a entrevista com Diane Lester (Caitriona Balfe), Chefe de Comunicações da IBIS Clear Capital, uma empresa de investimentos cujas ações acabaram de despencar em função de um problema em seus algoritmos de computador.

O filme demonstra em diversos momentos situações de machismo e mansplaining. Em determinado momento uma das personagens femininas escuta a seguinte frase de um subalterno: “Existem dezenas de garotas como você, que podem fazer seu trabalho”. A forma como a arrogância masculina ainda predomina no mercado de trabalho, independente se você trabalha em uma corporação financeira ou em uma emissora de TV, é demonstrada no filme tanto de maneira sutil como das formas mais óbvias e agressivas possíveis. Jodie Foster não deixa a causa feminista assumir o controle da narrativa, apenas mostra com habilidade o que pensamos todos os dias: o quanto muitos homens ainda acham que somos apenas meras coadjuvantes no mundo.

Jack roubando a cena em 'O Jogo do Dinheiro"
Jack roubando a cena em “Jogo do Dinheiro”

Por falar em coadjuvantes, é de Jack O’Connell o trabalho de surpreender e dominar a tela mesmo frente a George Clooney. O rapaz prova que apesar de seu jeito inglês “blue collar” – evidente em seus trabalhos anteriores – a sutileza e ao mesmo tempo emoção crua e real que entrega pode ser superior aos mais puros “shakespereanos” com seus sotaques “sangue-azul”. Me parece que temos um caso de um belo diamante bruto (coberto por carvão) que, nas mãos certas, poderá ter um futuro brilhante e “dominar” Hollywood junto com outros grandes nomes britânicos de sua geração.

O filme não conseguiu atingir uma nota alta no IMDB – não verifiquei outras avaliações de outros críticos, no IMDB a nota é dada pelos usuários –  e isto não me espantou. Em meio a blockbusters e filmes de super-heróis, “Jogo do Dinheiro” é um filme que não trás nada de surpreendente  e não é tão fácil de digerir, tratando do enriquecimento de gananciosos às custas da ingenuidade de outros. É bom lembrar que filmes que ganham o Oscar nem sempre são o tipo de entretenimento que o grande público busca. Às vezes sucessos de público são premiados, entretanto bons filmes são feitos primeiramente de uma boa história, interpretada por bons atores sob uma boa direção e frequentemente são filmes que te fazem sair do cinema questionando algum aspecto do mundo em que vivemos (da história da humanidade). Portanto eu não ficaria surpresa em ver o filme concorrendo à melhor direção, roteiro, ator coadjuvante e/ou atriz. Estamos cedo ainda na “corrida do Oscar”, mas como aficionada essas seriam minhas apostas para a película, comparando com os outros lançamentos até o momento. E adoraria, é claro, ver Jodie Foster levando a estatueta para casa, apesar de saber que a Academia menosprezava a atriz até recentemente.

Jodie Foster e Julia Roberts, duas mulheres que dispensam apresentação em "O Jogo do Dinheiro"
Jodie Foster e Julia Roberts, duas mulheres que dispensam apresentação em “Jogo do Dinheiro”
  • Direção: Jodie Foster
  • Elenco: George Clooney, Julia Roberts, Jack O’Connell, Dominic West, Caitrione Balfe e Giancarlo Esposito. 
  • Duração: 98 minutos
  • Distribuidora: Sony
  • Título Original: Money Monster

 

 

 

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Silvia RC Almeida

Dona da coluna Filmes da Sil no blog F-utilidades