Em Topografias, seis autoras criam um mapa fantástico de seus universos particulares

Topografias é um mapa de universos paralelos completamente distintos. O que eles tem em comum, além do azul e do rosa com os quais foram construídos pelas mãos habilidosas de suas autoras, são os questionamentos sobre a vida, a solidão, o amor e o ser mulher.

O livro é composto por seis histórias reunidas numa edição belíssima cujo projeto gráfico é da Livia Viganó, do selo independente Piqui, com capa de Ingrid Kita. As artistas envolvidas em Topografias, do conteúdo à editoração, são mulheres de todo o Brasil que vem se estabelecendo no mercado nacional de quadrinhos como autoras talentosas e inovadoras.

Detalhe de Chuva de Verão, de Julia Balthazar.
Detalhe de Chuva de Verão.

A primeira história, Chuva de Verão, é escrita e desenhada por Julia Balthazar, uma das minhas artistas brasileiras favoritas. O trabalho dela com ilustração já me seduzia pelo contraste entre cores vibrantes e atmosferas melancólicas. Em Chuva de Verão, a Julia usa o visual magnífico que só ela sabe criar pra contar a história de uma tarde de calor na vida de duas amigas. Nessa ocasião, elas visitam um paraíso solitário existente depois do fundo da piscina (ou, talvez, só dentro delas próprias).

Páginas de Frumello, de Bárbara Malagoli.
Páginas de Frumello.

A história seguinte é Frumello, da Bárbara Malagoli. O contraste com a técnica manual da Julia é notável: a Bárbara, que já é uma ilustradora consolidada no mercado editorial nacional, vem há anos trabalhando um estilo de desenho digital caracterizado pela geometrização das formas e uso bem marcado de degradês e texturas. Na sua HQ, ela intercala questionamentos metafísicos com cenas fantásticas que possuem, ao mesmo tempo, uma estética intergaláctica (um dos seus temas favoritos) e elementos da natureza terrestre. Cada página da história é um pôster deliciosamente psicodélico e o final é impactante.

Detalhe de Teneusca, de Taís Koshino.
Detalhe de Teneusca.

Na sequência, temos Teneusca, da Taís Koshino, outra autora que eu venho acompanhando há alguns anos. As histórias da Taís sempre me intrigam muito; o desenho rabiscado e os personagens redondos com olho miúdo passam a primeira impressão de que a gente está prestes a ler algo leve e engraçadinho. No entanto, ela sempre surpreende com a profundidade dos seus questionamentos e a complexidade das suas tramas. Teneusca nos coloca na pele de uma criança não-humana que parte numa jornada de aprendizado sobre o seu povo – suas origens, seus hábitos, sua anatomia – e também sobre o que é tornar-se uma mulher.

Detalhe de Flagelo, de Puiupo.
Detalhe de Flagelo.

Flagelo, da Puiupo, tem uma pegada parecida. Passada em um universo distópico em que a neo-humanidade só consegue se reproduzir através do sacrifício, a história nos apresenta uma protagonista que enfrenta o difícil dilema entre abandonar o seu bebê ou ser devorada por ele.  O desenho é estilizado e um tanto quanto perturbador, como é caraterístico da artista, que, apesar de super jovem, já teve trabalhos autorais publicados no Brasil e no exterior.

Página de Sátira Latina, de Mariana Paraizo.
Página de Sátira Latina.

A história seguinte, Sátira Latina, me surpreendeu muito por se tratar de uma colagem! Apesar de a autora, Mariana Paraizo, ter vencido o prêmio Dente deste ano com um zine incrível que mistura essa técnica e desenho tradicional, em Sátira Latina ela se propõe o desafio de criar uma história completa e muito pessoal usando exclusivamente montagens feitas com fotos e palavras retiradas de jornais. Neste trabalho, a Mazô prova que é possível criar a sua própria poética através da pesquisa cuidadosa e da interferência sobre materiais produzidos por outras pessoas, com fins totalmente diferentes. É possível contar a sua história através de uma linguagem composta de notícias sobre desastres e pessoas desaparecidas. E o resultado é maravilhoso.

Detalhe de Árvores, de Lovelove6.
Detalhe de Árvores.

O livro se encerra com Árvores, da Lovelove6. Autora da fantástica Garota Siririca, a Lovelove6 vem se destacando no cenário de HQ nacional com trabalhos muito legais sobre feminismo e sexualidade. Nesta obra, toda feita à mão, ela conta uma metáfora delicada sobre o amor e o ciúme através de (uma? Duas?) mulheres que, em um determinado ponto de suas vidas, viveram sobre as árvores. Além do visual potente conferido pelas texturas do lápis e reforçado pelas cores saturadas, o quadrinho provoca uma reflexão muito interessante.

 

Topografias será lançado no dia 16 de julho na Gibiteria, em São Paulo, e no 2º Encontro Lady´s Comics, a acontecer em Belo Horizonte nos dias 29, 30 e 31 de julho.

O livro também pode ser adquirido na loja virtual do Selo Piqui.

 

E quem quiser conhecer mais e acompanhar o trabalho das autoras pode clicar nos links abaixo:

 

julia balthazar

 

 

 

 

 

Julia Balthazar

https://www.facebook.com/jjjuliab/?fref=ts

http://juliabalthazar.tumblr.com/

http://cargocollective.com/juliabalthazar/

 

13466231_10154270432151103_3035483293020767766_n

 

 

 

 

 

Bárbara Malagoli

http://barbaramalagoli.com/

https://www.facebook.com/babycpage/?ref=ts&fref=ts

 

1966875_10200887358065249_2019619153_n

 

 

 

 

 

Taís Koshino

https://www.facebook.com/selopiqui/?fref=ts

 

12885873_10205880992365059_5981234440973309841_o

 

 

 

 

 

Puiupo

http://puiupo.tumblr.com/

https://www.facebook.com/puiupos/?fref=ts

http://cargocollective.com/puiupo

 

tumblr_o97hgcRxtO1tq3u9jo1_1280

 

 

 

 

 

Mariana Paraizo

http://www.mazotopia.tumblr.com/

https://www.facebook.com/xmaz0x/?ref=ts&fref=ts

 

13529251_150496495358945_7738874218295552598_n

 

 

 

 

 

Lovelove6

https://www.facebook.com/lvlv666/?fref=ts

http://www.lovelove6.com/

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Laura Athayde

Após terminar a pós graduação em Direito Tributário, em 2014, passou a dedicar-se à ilustração e ao quadrinho. Participou de diversas publicações coletivas, como o livro Desnamorados, Revista Farpa, Revista RISCA!, Antologia MÊS 2015 e Catálogo FIQ 2015. Lançou também HQs solo, algumas das quais podem ser lidas online em issuu.com/lauraathayde. Como se não bastasse fazer quadrinhos, resolveu escrever sobre eles na coluna HQ Arte do MinasNerds.