Tarja Turunen, a voz da Finlândia

15Conheci o trabalho da Tarja Turunen no início dos anos 2000 quando era vocalista do Nightwish. Meu primeiro contato foi com o álbum “Oceanborn”, segundo álbum em estúdio do Nightwish. Foi amor à primeira vista. Que mulher incrível, que voz! Procurei os álbuns lançados até aquele momento e eram: “Angels Fall First”, “Oceanborn”, “Wishmaster” e o EP “Over The Hills and Far Away”.

Em 2002 veio o marco na carreira da promissora banda, o álbum “Century Child” que além de trazer o novo baixista, Marco Hietala, onde juntamente com Tarja fez uma releitura do clássico “O Fantasma da Ópera”, levou a banda pela primeira vez ao “Emma Awards”, uma das premiações européias de maior prestígio. Concorreram em três categorias e venceram duas.

Em 2004 lançaram o álbum “Once” que trouxe mais premiações ao Nightwish, mais uma grande turnê mundial, o grande reconhecimento pelo trabalho ao longo desses anos. Tarja se destacava cada dia mais com sua belíssima voz e impressionante capacidade vocal.

Mesmo ao lado do Nightwish, nunca abandonou projetos solo voltados à música natalina e especialmente à Música Clássica, como o projeto que veio ao Brasil em 2004, “Noche Escandinava”. Um dos concertos mais belos que já tive a oportunidade de assistir.

Tarja tornou-se uma mulher extremamente popular, apaixonou-se por Marcelo Cabuli com quem é casada e tem uma filha. Foi eleita a voz da Finlândia pela então presidente Tarja Halonen. Foi demitida covardemente do Nightwish em uma carta aberta à imprensa. Tarja ressurgiu como uma fênix (termo cliché, mas realista) e lançou seu primeiro álbum solo no universo do metal, “My Winter Storm”. Álbum que rendeu prêmios à Tarja e mais prestígio num meio dominado em grande maioria por homens.

Posteriormente vieram o belíssimo “What Lies Beneath”, “Colours in the Dark”, o EP “The Brightest Void” e na última sexta-feira dia 05 de agosto, o tão aguardado “The Shadow Self”. (não citei lives, coletâneas e nem os álbuns de música clássica. Tarja possui uma bela e diferenciada discografia)

Ao longo dos anos, Tarja se desvencilhou da sonoridade adquirida com o Nightwish e foi em busca de seu próprio formato musical. Admiro a empostação forte, pesada e ao mesmo tempo doce dela como cantora clássica. Demorei para acostumar meus ouvidos à voz mais limpa, mas sempre incrivelmente dramática.

Tarja segue seu caminho de forma esplêndida com o lançamento de “The Shadow Self”. Aquele misto de heavy metal, vocais limpos, clássicos e até levemente rasgados, miga sua loka! <3

Participou de diversos projetos ao longo de sua carreira. Destaco abaixo sua belíssima parceria com a banda Scorpions.

Os álbuns dela sempre trazem gratas surpresas. É impressionante e delicioso ouvi-los misturados e admirar a evolução vocal da Diva do Metal. Existem pontos negativos em algumas músicas, mas os positivos superam. Em seu novo álbum, Tarja traz um mergulho na luz, escuridão, no drama, na rotina, em nossos monstros. Destaque para o primeiro single “Innocence”, “Undertaker”, “Diva” e “Eagle Eye”.

O mundo do heavy metal possui grandes mulheres como representantes, Tarja está entre elas. Sofre assédios e perseguições por simplesmente ser mulher. Vive num ambiente em grande dominado por homens e se sobressai entre eles. Passou por uma demissão covarde e ressurgiu como merecia. Ela tem um sorriso doce, um olhar profundo, um abraço carinhoso, uma voz poderosa, ela tem luz própria. Respect Tarja Turunen.

Novo álbum: https://open.spotify.com/album/5gpkfFrUXV9UFnKmoEZXjs

https://www.youtube.com/watch?v=6yYccQ0S1yI

https://www.youtube.com/watch?v=wbeQVzXvtok

https://www.youtube.com/watch?v=dqZs-DFtx9g

https://www.youtube.com/watch?v=7PHr2NHfCjo

https://www.youtube.com/watch?v=ko4Cp0Yjggc

https://www.youtube.com/watch?v=4kE_qJ9a4nY

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.