Os Cool Kids: um webcomic sobre entrar na vida adulta com o pé esquerdo e o coração partido

Eu já tinha tido a chance de ter um trabalho da Luiza de Souza nas mãos – o lindo Contos Rabiscados para Corações Maltrapilhos – e, desde então, ela ganhou uma fã.

Quando eu soube que ela tava planejando começar uma webcomic, meu coração quase saiu do peito de emoção: voltei à minha adolescência, quando os únicos quadrinhos que a gente via falando sobre estilos de vida alternativos (leia-se: LGBT) eram aqueles feitos por artistas independentes e distribuídos online.

Pra quem não sabe, webcomics são séries de quadrinhos originais lançadas integralmente na Internet. O fato de serem produzidas e disponibilizadas pelos próprios artistas significa liberdade absoluta na escolha e abordagem dos temas. E isso é O MÁXIMO, porque permite que assuntos ignorados pela grande mídia cheguem ao seu público em sua forma mais honesta e direta. É quase como uma conversa entre o autor e seus leitores.

Agora, vamos ao que interessa: o caso de amor e confusão entre Marina e Quiara, duas potiguares que podiam ser nossas amigas, nossas vizinhas – ate mesmo eu e você.

Página de Os Cool Kids cap. 1
Página de Os Cool Kids cap. 1

Os Cool Kids começa de um jeito diferente: somos apresentados a uma personagem muito legal, muito bonita, muito maneira… que está indo embora pra nunca mais voltar. No lugar dela, aparece a Marina, de mudança para o seu apartamento e que é, nas suas próprias palavras, apenas ok.

Vizinha da Marina, morando com o namorado com quem termina-e-volta sem parar, Quiara se encanta com ela, e o encantamento é recíproco. Pronto: a treta está armada, e não vou soltar mais spoilers. Se você quiser, pode ler o resto do primeiro capítulo aqui.

O talento da Luiza está em dar vidas às personagens muito além do relacionamento delas: entre migos, ex-migos, botecos do coração e famílias chatas, Marina e Quiara tentam descobrir a felicidade às suas respectivas maneiras. É impossível julgá-las, especialmente quando é tão fácil nos colocarmos no lugar delas (quem nunca fez alguém sofrer? Quem nunca sofreu por alguém?). Por isso, resta-nos apenas torcer por elas, rir das suas estripulias e ter dó de seus escorregões doloridos.

Página de Os Cool Kids Cap. 1
Página de Os Cool Kids Cap. 1

O traço da artista é sempre um encanto: divertido e expressivo, consegue fazer rir ou doer o coração com a mesma habilidade. E uma característica dos seus trabalhos são as várias referências à cultura pop escondidas pelos cenários e roupas das personagens (eu consegui achar alusões a Hora de Aventura, Pushing Daisies, Steven Universe e Panic at the Disco; quem achar mais, me avisa aí!).

A atmosfera da HQ é familiar e acolhedora. Dá vontade de morar lá, dormindo na rede e ouvindo a playlist da Marina no Spotify, e é inevitável lembrar de alguém ou de algum momento da nossa vida que, apesar de complicado e meio doloroso, deixou saudades.

Vale ressaltar que, apesar de os capítulos serem liberados antecipadamente pros apoiadores da Luiza, eles serão disponibilizados pra todo mundo um tempinho depois. Então, pode se jogar nessa leitura e, se curtir e quiser ter acesso a outros conteúdos exclusivos, apóia ela!

Página de Os Cool Kids Cap. 1
Página de Os Cool Kids Cap. 1

LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO INTEIRINHO AQUI!!!

Luiza de Souza

Pra ler os próximos capítulos dos Cool Kids antes de todo mundo e ter acesso a pôsteres e quadrinhos exclusivos, você pode apoiar a Luiza com valores de R$ 1 a R$ 30 por mês.

Pra ir na festa Os Cool Kids, que vai acontecer dia 03.09 em Natal em comemoração ao lançamento da HQ, é só clicar aqui e se informar.

Finalmente, você pode conhecer mais do trabalho da Luiza na página dela no Facebook e no seu Instagram!

 

E, a quem interessar possa, segue o mapa astral da Marina, pra ajudar a entender um pouco desse bololô que é a vida dela:

Mapa astral da Marina, protagonista de OS Cool Kids
Mapa astral da Marina, protagonista de OS Cool Kids

Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Laura Athayde

Após terminar a pós graduação em Direito Tributário, em 2014, passou a dedicar-se à ilustração e ao quadrinho. Participou de diversas publicações coletivas, como o livro Desnamorados, Revista Farpa, Revista RISCA!, Antologia MÊS 2015 e Catálogo FIQ 2015. Lançou também HQs solo, algumas das quais podem ser lidas online em issuu.com/lauraathayde. Como se não bastasse fazer quadrinhos, resolveu escrever sobre eles na coluna HQ Arte do MinasNerds.