50 Anos de Jornada nas Estrelas

Capa do livro 50 Anos de Jornada nas Estrelas. Mostra o logotipo da Frota Estrelas rodeado pelo título do livro em um círculo negro sobre fundo azul.Um dos grandes prazeres de ser fã de Jornada nas Estrelas é que as informações e curiosidades sobre a franquia são infinitas. Esse universo, composto por 5 séries live action, uma série animada, 13 filmes e inúmeros livros e HQs, revolucionou a ficção científica 50 anos atrás e continua sendo uma fonte de boas histórias.

50 Anos de Jornada nas Estrelas — A História Completa, Não Autorizada e Sem Censura é uma série de livros que contam os bastidores de toda a franquia. Os autores são jornalistas especializados, com um longo histórico de envolvimento com cultura pop e ficção científica, e entrevistaram diversas pessoas envolvidas com a série, como o criador Gene Roddenberry, produtores, diretores, roteiristas, elenco e fãs. O livro foi estruturado como uma série de citações diretas dessas entrevistas, intercaladas de forma a contar, neste primeiro volume, uma história linear da Série Original, desde a carreira prévia de Roddenberry até as famosas convenções de fãs que mantiveram Jornada vivo e o transformaram em um fenômeno no início dos anos 1970. É uma história detalhada, cheia de fofocas e curiosidades sobre os aspectos técnicos e humanos da produção.

É fascinante ler sobre como era a televisão antes de Jornada — quando a ficção científica televisiva era limitada a histórias de monstros — e sobre a luta de Roddenberry para poder produzir uma série inovadora e ousada, que tratasse de assuntos pertinentes. A Série Original foi revolucionária em muitos aspectos, inclusive pela inclusão de personagens relevantes de diferentes etnias e nacionalidades. Ao ler este livro, fiquei me perguntando quantas outras inovações e quebras de paradigmas ela poderia ter trazido, se não fosse pela intervenção da emissora que a transmitia e censurou diversas ideias de Roddenberry, entre elas o plano de colocar uma mulher como a segunda em comando na nave.

Outros percalços da produção da série também são detalhados, entre os quais a rivalidade entre os atores William Shatner e Leonard Nimoy. O livro traz uma pérola nunca antes publicada, mas muito comentada, que é uma carta de Roddenberry para seus atores principais (incluindo DeForest Kelley, que acabou entrando na briga), na qual o criador dá uma bronca extremamente severa e fala de como o comportamento egocêntrico e inapropriado deles estava prejudicando a produção da série.

Os autores não manifestam nenhum posicionamento nessa briga nem em outras polêmicas apresentadas no livro, cujos entrevistados têm opiniões bastante divergentes sobre vários assuntos e pessoas, inclusive sobre o próprio Roddenberry. Mas há pouco culto exagerado ao criador da série, e a obra permite ao leitor conhecer outros grandes nomes que foram tão importantes quanto Roddenberry para que Jornada acontecesse: Gene L. Coon, que produziu parte da segunda temporada e assinou os roteiros de alguns dos episódios mais consagrados da série; a roteirista Dorothy Fontana; a dona do estúdio Lucille Ball, que apostou (e perdeu) muito dinheiro para que a série acontecesse, entre outros.

Terminei a leitura curiosíssima para ler os próximos volumes da série, que vão detalhar a produção dos filmes e séries spin-off. Enquanto essas continuações não chegam ao Brasil, recomendo fortemente esta leitura tanto para quem conhece pouco da série como para os fãs mais hardcore. Afinal, é sempre bom se aventurar por mais e mais Jornada.


Título: 50 Anos de Jornada nas Estrelas – A História Completa, Não Autorizada e Sem Censura, Volume 1

Título original: The Fifty-Year Mission

Autores: Edward Gross e Mark A. Altman

Tradutor: Rodrigo Salem

Editora: Globo Livros

Ano: 2016

Páginas: 392

Preço: R$ 44,90


Este livro foi cedido pela editora para leitura.


Bárbara Prince é editora na Aleph, blogueira literária no Sem Serifa e youtuber no Invasão Bárbara. Nas horas vagas, assiste a desenhos animados e admira seus gatos.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.