+ 18 – Primeiras Vezes – Essas pessoas sem pudores são bonitas

ATENÇÃO: EROTISMO – TEXTO RECOMENDADO PARA MAIORES DE 18 ANOS

swingA primeira HQ erótica que resenho não poderia ter nome mais sugestivo: Primeiras Vezes. O que certamente me remete às minhas primeiras experiências, sexuais ou não, e do frio na barriga e todas as outras sensações tão típicas dessas ocasiões.

Me arrependo de ter lido as 10 histórias em “uma sentada”: Primeiras Vezes deve ser apreciada capítulo a capítulo, devagar, com a calma de quem desbrava um novo universo, mas curiosa que sou…. Não consegui me segurar.

swing-2

As 10 histórias são contadas por Sibylline, desenhista francesa que roteirizou suas primeiras histórias eróticas para desenhistas que também não estão habituados a desenhá-las e a minha surpresa foi que, apesar de muitos desenhos terem sido feitos por homens, a perspectiva feminina de prazer é que fica em evidência.

Tendo lido Manara e Crepax recentemente, já havia sentido uma diferença brutal em relação à sensibilidade e à forma como as histórias me tocam (ou não me tocam) quando comparadas às artistas como Apollonia Saint Clair (cujas ilustrações tenho salvas em diferentes arquivos e não me enjoo de olhar) e Giovanna Casotto, que li recentemente e é de longe meu trabalho favorito dentro desse gênero.

21

Plasticamente falando, Manara é incrível, mas não me excita em nada, pois as narrativas não me convencem. Do Crepax eu só li a versão que ele fez de Justine, do Sade, mas imagino que talvez gostasse de Valentina. De qualquer forma, foi um grande prazer (literalmente) conhecer Primeiras Vezes, publicada pela Nemo em 2015.

Eu li online, pelo Social Comics, sem maiores pretensões. Havia acabado de ler outra HQ mais densa e resolvi ler uma para “relaxar”. Se querem saber se a revista me provocou alguma coisa, adianto que além de uma leitura agradável, não me fez sentir nada de muito especial…Talvez porque eu não estivesse no clima. De certo deveria ter separado uma taça de vinho.

21-2

Ainda assim, confesso ter ficado maravilhada em ler uma HQ erótica inteiramente sob uma perspectiva feminina, porque finalmente me vi e me identifiquei com várias cenas (não, não fui à casa de swing e nem fui pra cama com uma amiga) e vi várias amigas minhas nela.

Deixa eu falar de cada uma delas e das que mais gostei: Primeira Vez, desenhada por Alfred (não faço ideia de quem sejam os desenhistas a não ser pelo Mckean) fala obviamente da primeira experiência sexual de uma garota. História bem sensível, mas meio sem sal; Sex shop: a primeira visita a uma sex shop e a descoberta do primeiro consolo, por Capucine. Gostei bastante! Divertida, leve e excitante quando a personagem começa a usar o brinquedo novo; Fantasia, por Jérome d’Aviau, é de longe a minha favorita (o que talvez indique muita coisa sobre minhas fantasias): a personagem vai sozinha a um bar e se vê diante de uma situação inusitada que a leva a transar várias vezes com o garçom, ali, no bar mesmo, mas nem tudo é o que parece. As cenas são bem detalhadas e têm um ritmo evolvente, portanto, boas sensações, com certeza.

1+1, de Virginie Augustin, a primeira vez que uma mulher vai pra cama com uma amiga depois de ter bebido demais, previsível; 2+1, de Vince, essa também me agradou bastante: imagens bem detalhadas e a perspectiva de uma mulher que sai com um casal pela primeira vez. Seu prazer é convincente, o que torna a HQ extremamente excitante; Inerte, por Rica, traz um crítica muito forte à indústria pornográfica e a narrativa é contada da perspectiva de uma boneca inflável, ou seja, pra se excitar com essa aí… Bom, não vou julgar, mas me causou um grande incômodo. Se a pessoa vinha em um crescente de excitação, essa história é pra acabar com a brincadeira; Em Swing, por Olivier Vatine, que também gostei, a personagem fica um pouco tímida no início, mas até o fim da história ela consegue se imaginar mais solta, cogitando voltar à casa de swing para ser venerada (e comida, obviamente) por todos os homens que desejou na primeira vez que esteve no lugar; Submissão, por Cyril Pedrosa, poderia ser mais picante, mas as cenas de submissão não chegam a impressionar, ainda mais pra quem assistiu Ninfomaníaca não faz muito tempo. O traço também é muito cartunesco, então não confere nenhuma conexão com a realidade e também não dá muita margem para a fantasia; Sodomia, por Dominique Bertail, traz cenas bem realistas sobre a primeira vez com o famoso “cintaralho” (imagem abaixo!hehe). Achei interessante, mas não me excitou, talvez porque eu também não tenha a fantasia de sodomizar ninguém; por fim, X-Rated, por Dave McKean, tem uma pegada experimental que não dá nem margem pra excitação, nem pra imaginação e olha que adoro o McKean. Nem entendi direito do que se trata essa aí. Me parece um casal assistindo a algum filme erótico e se comendo simultaneamente, com algumas colagens que são marca registrada do artista britânico.

sodomia

Bom, me desculpe cara leitora (ou leitor) se eu não pareci muito empolgada com as histórias. Juro que minha intenção era escrever num crescente de tesão para que curtíssimos juntos um clímax e tudo mais, mas ao parar para pensar friamente nas histórias, a criticidade falou mais alto e a leitora ficou de fora, dando lugar a quem vos fala agora. Você há de me dar um desconto, pois essa é minha primeira vez, mas eu me conheço bem e sei que muitas das imagens que acabei de ver, ficarão guardadinhas aqui para futuro uso e estímulo da minha imaginação, portanto, recomendo a leitura sim, principalmente porque minhas palavras não são capazes de descrever o prazer que se pode sentir com imagens como as que compartilho aqui.

fragil

Espero que curtam e me contem o que acham da HQ, caso venham a ler.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Dani Marino

Dani Marino é pesquisadora de Quadrinhos, integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP e da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS. Formada em Letras, com habilitação Português/Inglês, atualmente cursa o Mestrado em Comunicação na Escola de Artes e Comunicação da USP. Também colabora com outros sites de cultura pop e quadrinhos como o Iluminerds, Quadro-a-Quadro, entre outros.