O Código das Águias – Fábulas da Terra, de Paola Giometti

Paola Giometti é paulistana, formada em biologia, mestre e doutoranda em ciências. Além disso, é autora de dois livros solos, colaboradora e organizadora de diversas coletâneas de contos. O Código das Águias é seu segundo livro solo, lançado em 2016 pela editora Engrenagem. Este, juntamente com o título O Destino do Lobo, compõe a série Fábulas da Terra, na qual a autora mescla seu conhecimento acadêmico e empírico para criar um retrato o mais fiel possível da natureza.

O Código das Águias conta a história de Hankpa, um filhote de águia que acaba sendo capturado por integrantes de uma aldeia indígena após seu primeiro voo fora do ninho. A partir de então, ele conviverá com as outras águias da tribo, aprenderá a caçar e a seguir o código das águias, uma espécie de lei ancestral que une humanos e águias num contrato de ajuda mútua.

A história começa mesmo com um bisavô levando seu bisneto para passear nas montanhas. O menino está passando seus últimos dias na casa dos pais, pois vai se mudar para a cidade grande para continuar os estudos. Durante o passeio, o bisavô começa a contar a história da águia e, a partir de então, mergulhamos num relato em primeira pessoa de Hanpka e suas aventuras.

Aquila Chrysaetos ou águia-dourada, a espécie retratada no livro.

Com certeza, estamos diante de um livro muito cativante, que trata com leveza assuntos importantes, como amizade, solidão, amadurecimento e força. É muito fácil se identificar com Hanpka. Acompanhar seu crescimento e suas mudanças de posicionamento faz com que reflitamos acerca de nós mesmos, da nossa trajetória e de como isso nos faz ser quem somos.

Eu, particularmente, nunca gostei muito de animais ou de natureza. Minha família veio da roça e, quando criança, eu sempre ia para a chácara da minha tia passar algumas temporadas. Mas me lembro que, toda vez que eu estava lá, ficava imaginando como seria viver numa cidade grande, cheia de carros, prédios e pessoas. Poder passear no shopping ou ter as roupas da moda, igual às meninas das novelas.

Atualmente eu moro em uma cidade grande e tenho acesso a todas essas oportunidades que uma metrópole oferece. Porém, me pego às vezes lembrando da época em que vivia na roça e das pessoas com quem convivia.

Nenhum animal pode viver escondido para sempre, pois nascer já é uma forma de romper o ovo e sair do conforto.

É disto que trata O Código das Águias: como crescer é doloroso, mas também inevitável. Doloroso não só pelas dificuldades que vamos encontrando no caminho, mas também pelas despedidas que somos obrigados a fazer.

Porém, na vida, todo fim é um novo começo. Nada permanece, mas tudo se transforma. E, claro, nem toda mudança é ruim. Como aprendemos com O Rei Leão, é o ciclo da vida, do qual fazemos parte, querendo ou não. Isso também é mostrado no livro, de uma forma muito bonita. Assim como na ficção, nas nossas próprias histórias, o que permanece são as lembranças. Permanece também a certeza de que, mesmo que muitas coisas não existam mais, elas existiram por tempo suficiente para fazer parte de momentos maravilhosos.

 

Ficha técnica

Livro: O Código das Águias

Autora: Paola Giometti

Editora: Engrenagem

Ano: 2016

Páginas: 136


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Bianca Ferreira

Psicóloga, mestranda em psicanálise e dona da Bianqueria.