Black Silence, de Mariana Cagnin

HQ de ficção-científica ambientada em um futuro pós-apocalíptico, quando a Terra está com seus dias contados, Black Silence contém todos os elementos que estamos acostumados a ver em filmes tão aclamados pelo Oscar. Com 104 páginas, o livro tem formato americano (26x17cm), com capa colorida e miolo preto e branco, impresso em papel Polen Gold 90g/m². A lombada é quadrada e acompanha orelha. A tiragem inicial é de mil cópias, financiada pelo Catarse e lançada na CCXP2016.

Assim como Gravidade e Interstellar, dois filmes cujos roteiros são focados muito mais na relação e conflitos dos personagens do que nos aspectos “futurísticos” da narrativa, a história da oficial Neesrin Ubuntu e sua tripulação é repleta de tensão e suspense, principalmente quando se trata de sua relação com o exobiólogo Lucas Ferraro.
Não sabemos ao certo o que houve com a Terra e isso também não importa, pois a busca por novas possibilidades de colônias para o desenvolvimento da vida humana já é uma realidade. Sabemos que ameaçamos a sustentabilidade do planeta a cada dia e que uma fuga em massa talvez seja uma opção. Porém, o desafio de encontrar lugares viáveis pode levar pesquisadores a tomarem decisões extremas.

“Existem muitos tipos de violência… E o silêncio é uma delas.” 

Quando a tripulação parte em direção a um planeta que aparenta ter as condições viáveis para uma colonização, descobrimos que a convivência forçada e falta de informações para lidar com um mistério que se apresenta, podem desencadear conflitos que talvez Neesrin não estivesse preparada para enfrentar… Quem estaria?

Por isso, além da reflexão sobre como lidamos com determinados problemas e a maestria com que a autora desenvolve as falas, o que encontramos nessa obra é uma tensão que se desenrola na medida que conhecemos melhor cada personagem, de forma que é impossível não se envolver completamente e imaginar o que vem em seguida.

E assim como a própria Neesrin, nos perguntamos se estávamos preparados para o que está por vir a cada virada de página. Eu não conhecia o trabalho a Mary como quadrinista, mas já era muito fã de suas aquarelas. Em Black Silence não há cor, mas o traço delicado e preciso da artista combina perfeitamente com as falas, principalmente no caso da oficial Ubuntu, que passa uma ideia de alguém que já viveu muita coisa apesar da aparência jovem.

O cuidado na construção da personalidade de cada tripulante é outro ponto alto, ainda que a história não seja longa a ponto de se aprofundar a vida de cada um. A inserção de fichas de cada personagem no fim da HQ também ajudam a construir o universo que é completamente verossímil, não deixando margem para questionamentos sobre os elementos ficcionais.

Black Silence é uma HQ incrível que fico muito feliz de ter apoiado, e torço para que a Mariana continue a história de Neesrin. Ainda que o final dessa primeira aventura possa ser definitivo, ele dá margem para que os leitores imaginem o que acontece depois e eu gostaria de outras histórias com ela. Neesrin é uma personagem envolvente e que esconde muita coisa, por isso, seria bem legal saber que outras experiências fizeram dela quem ela é e o que acontece a partir da sua visita ao planeta Adda – 48B.

Se interessou? Ainda há alguns volumes disponíveis aqui: http://marycagninstore.iluria.com/pd-3de5d4-hq-black-silence.html?ct=&p=1&s=1

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Dani Marino

Dani Marino é pesquisadora de Quadrinhos, integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP e da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS. Formada em Letras, com habilitação Português/Inglês, atualmente cursa o Mestrado em Comunicação na Escola de Artes e Comunicação da USP. Também colabora com outros sites de cultura pop e quadrinhos como o Iluminerds, Quadro-a-Quadro, entre outros.