5 artistas brasileiras elegem as melhores HQs de 2016

2016 foi um ano agitado e nem sempre as novidades foram animadoras. Contudo, para as HQs foi um ano marcado por dezenas de trabalhos nacionais financiados coletivamente, publicados na Internet ou através de editoras e por muitas histórias estrangeiras traduzidas, também. Só através do site de arrecadação de fundos Catarse, foram 89 projetos de quadrinhos financiados com sucesso!

Neste ano, que foi o seu primeiro em atividade, o Minas fez questão de ir atrás desses trabalhos, resenhá-los, entrevistar suas autoras e divulgar suas campanhas de arrecadação. E, pra fechar com chave de ouro, convidamos 5 quadrinistas – que também lançaram trabalhos recentemente – para falar um pouco sobre suas HQs favoritas de 2016. O único critério foi: deve estar disponível para venda ou leitura em português. De resto, vale tudo!

CATHARINA BALTAR

Catharina Baltar e a capa de sua HQ Cerulean.

O que lançou: Cerulean

Sua HQ favorita de 2016: Além dos Trilhos (sobre a qual já tivemos o prazer de falar aqui!)

“Já faz um tempo que sou fã das pinturas em aquarela e nanquim que a Mika faz, e quando ela anunciou que estava produzindo o seu novo quadrinho, Além dos Trilhos, eu fiquei bastante feliz e ansiosa para ler logo.

Quando finalmente consegui meu exemplar, todas as minhas expectativas (que já eram altas) foram superadas! Dá para perceber que tudo foi feito com bastante carinho, desde a escolha de papéis com as texturas e cores certas, até o acabamento em hotstamp dourado na capa, tudo contribui para valorizar ainda mais as pinturas da Mika e criar um produto lindo desses que você tem vontade de guardar pra sempre!

A história é sobre um coelhinho super fofo que sai em busca da peça que está faltando para preencher seu vazio interior, e é contada de uma forma bastante sensível, com pinceladas de nanquim. Não tem diálogos, mas as composições dos quadros e a expressividade dos traços da artista já dizem tudo. Além dos Trilhos é um quadrinho encantador, que eu pego toda hora para ficar admirando, e tem uma mensagem muito bonita também! Ele é a peça que faltava na minha estante de livros <3″.

CAROL ROSSETTI (com a colaboração de Gabriel Nascimento)

Carol Rossetti e imagens de alguns de seus trabalhos

O que lançaram: Cores (Carol) e Maria&João (Gabriel)

Sua HQ favorita de 2016: Além dos Trilhos (mais uma vez!)

Página da HQ Além dos Trilhos
“Depois de passar por um acachapante processo de financiamento coletivo (o livro conseguiu 228% da meta estabelecida) podemos agora apreciar essa maravilha que é Além dos Trilhos. A primeira coisa que chama atenção é o projeto gráfico. Todas as opções e decisões, como o uso da sobre capa, a lombada com costura exposta, os papéis, os acabamentos, a diagramação, o posicionamento dos agradecimentos e todos os detalhes que por diversas vezes nos passam batidos, tudo foi muito bem pensado e executado. Créditos para a autora e para Bianca Muto que fizeram a direção de arte.
Mas um livro que possua todo esse primor gráfico sem um “recheio” não seria nada. E, para deleite nosso, estamos diante de uma comovente e tocante história. Mika Takahashi não usa balões nem textos e, dessa maneira, nos diz muito! A supressão da parte textual faz com que a autora lance mão de metáforas visuais riquíssimas. Não entrarei nos detalhes da história para não direcionar a leitura de ninguém, mas ressalto que os desenhos são de encher os olhos e as soluções narrativas são impecáveis. Recomendo muito a leitura!“.

MIKA TAKAHASHI

Mika Takahashi e uma arte da HQ Além dos Trilhos

O que lançou: Além dos Trilhos (leia a resenha e entrevista com a autora aqui!)

Sua HQ favorita de 2016: Bulldogma, de Wagner Willian

Capa da HQ Bulldogma

Existem quadrinhos que nos fazem rir, outros que nos fazem chorar e mais alguns que nos fazem refletir sobre a vida. Bulldogma é a obra que nos faz sentir tudo isso dentro de um liquidificador de emoções, misturando tudo e transformando em algo com um sabor exótico. A HQ narra a vida de Deisy Mantovani e seu bulldogue francês Lino em meio ao caos do cotidiano urbano e abduções alienígenas, unindo elementos da Nouvelle Vague com Ficção Científica, temperados com terror, comédia e uma pitada de surrealismo.

Mas o que surpreende em Bulldogma não é nem o enredo complexo e nem a narrativa fluida e sim a verossimilhança dos personagens. Deisy é uma ilustradora que passa pelos perrengues que só quem trabalha nessa área sabe, mas também passa pelos dilemas emocionais de alguém que está chegando nos 30. Ao decorrer da leitura Deisy se torna cada vez mais real e sai do mundo bidimensional para se sentar ao nosso lado em uma mesa de bar. Essa mulher poderia ser eu, você ou qualquer um dos seus amigos.

Esse foi o primeiro livro que li esse ano e que mudou o rumo dos meses que se seguiram. Sentir a realidade de Deisy refletida na minha própria vida foi o que me motivou a finalizar minha primeira publicação e nesse sentido só tenho a agradecer ao Wagner William por ter criado esta obra e me apresentado à personagem que se tornou uma das minhas melhores amigas”.

DÉBORA SANTOS

Débora Santos e a capa da sua HQ Pombos!

O que lançou: Pombos!

Sua HQ favorita de 2016: A propriedade, de Rutu Modan

Arte de capa de A Propriedade

“Fala sobre uma moça israelense e sua avó indo pra Varsóvia para recuperar uma propriedade da família. Mesmo sendo num lugar distante, com cultura distinta da nossa, a narrativa é bem universal: família, segredos e relações geracionais. Além disso, a narrativa visual é maravilhosa: os tempos das ações são bem retratados e a arte da autora é incrível, ela faz uma diferenciação de planos só mudando as cores das linhas. Essa entrevista que o Ramon Vitral fez com a autora é bem esclarecedora.

Menção honrosa aos quadrinhos que saíram este ano e que tive o prazer de ler: Topografias [que o Minas já resenhou aqui!] e Manual de Sobrevivência à vida adulta“.

LUIZA DE SOUZA (ILUSTRA, LU)

Luiza de Souza e uma arte da HQ Os Cool Kids

O que lançou: Os Cool Kids (que já resenhamos aqui!)

Sua HQ favorita de 2016: Manual de Sobrevivência à Vida Adulta,da Brendda Lima

Págnina do Manual de Sobrevivência À Vida Adulta

Ler o Manual de Sobrevivência à Vida Adulta foi quase como olhar um espelho em quadrinhos. A Brendda – que já fez um trabalho incrível com as cores de Mayara e Anabelle, acertou a mão tão direitinho, dessa vez no roteiro e no traço das dores e delícias de ir aprendendo aos poucos como ser gente grande. Os easter eggs são algumas das minhas partes preferidas, tem diversas referências inspiradoras guardadas nos cenários, nas camisetas, por toda parte. O Manual de Sobrevivência à Vida Adulta foi uma das melhores coisas que eu li esse ano, porque, como a Brendda já diz: ‘Crescer é bem doido, sabe?’ mas acho que a gente acostuma, alguma hora. Espero”.

 

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Laura Athayde

Após terminar a pós graduação em Direito Tributário, em 2014, passou a dedicar-se à ilustração e ao quadrinho. Participou de diversas publicações coletivas, como o livro Desnamorados, Revista Farpa, Revista RISCA!, Antologia MÊS 2015 e Catálogo FIQ 2015. Lançou também HQs solo, algumas das quais podem ser lidas online em issuu.com/lauraathayde. Como se não bastasse fazer quadrinhos, resolveu escrever sobre eles na coluna HQ Arte do MinasNerds.