18 tirinhas pra ler quando bate a bad

Bateu. Mas não foi o barato, não. Foi a bad. E, quando isso acontece, não tem nada melhor do que ler quadrinhos sobre ela – a bad – e lembrar que não estamos sozinhos nessa: aquele desânimo existencial vem pra todos nós, mais cedo ou mais tarde, com ou sem motivo, e deixa a gente na cama com vontade de tirar férias de viver.

Por isso, o Minas reuniu aqui algumas tirinhas de artistas brasileiras que publicam na Internet e falam aberta e intimamente sobre essa sensaçãozinha que é tão infalível quanto a morte e os impostos.

BRUNA MORGAN

A bruna é A RAINHA DA BAD. Da bad e do café. Por meio dos seus desenhos psicodélicos, ela aborda do coração partido ao suicídio, passando por temas sociais como a violência sexual, sempre com muita honestidade e com muitas cores. (E, às vezes, ela é bem otimista também).

Bruna Morgan

Página: Universo em Bolha de Tinta (e ela também escreve num blog cheio de dicas bacanas sobre filmes e arte)

LUISA LACOMBE

No seu trabalho, a Luisa fala sobre as coisas legais da vida adulta e as cobranças e responsabilidades que vem de brinde com elas, sempre com sacadas divertidas. Ela aborda com leveza e humor inteligente a pressão profissional, estética e musical (em especial, pra aprender a fazer pestana).

Luisa Lacombe

Página: A Lápis

BATATA FRITA MURCHA

O Batata é o coletivo de quadrinhos tocado por Gabi Lovelove6, Daniel Lopes e Augusto Botelho, da Editora MÊS, e Heron Prado. Ou seja, 4x mais bad do que o normal! Além de bad, eles também falam sobre questões existenciais e políticas e publicam com frequência. Vale a pena seguir a página e o trabalho dessa galera de Brasília.

Daniel Lopes
Gabi Lovelove6
Heron Prado
Augusto Botelho

Página: Batata Frita Murcha

BIANCA (ANNA BOLENNA)

As tiras da Bianca são uma mistura deliciosa de deprê com positividade. Através de versinhos rimados, desenhos caricatos e cores vibrantes, ela consegue escrever sobre temas banais (tipo uma declaração de amor ao travesseiro) e também sobre a tristeza mais profunda.

Anna Bolenna

Página: Anna Bolenna, A perturbada da corte

LAURA ATHAYDE

OK, gente, eu vou incluir nessa listinha um quadrinho meu! Mas não é jabá, eu juro. É que, como todo quadrinista que escreve sobre as próprias experiências, era inevitável que, um dia, eu fizesse a minha singela homenagem à boa e velha bad. (Na real, bad é o que não falta).

Laura Athayde

Página: Boobie Trap

VIRGINIA MOURA

A Virginia é uma aquarelista fantástica. Talvez  por isso ela tenha conseguido bolar um jeito tão bonito de contar a história de um término doloroso usando cores como personagens:

Virginia Moura

Página: Nina.

NATÁLIA SCHIAVON

A Natália é uma das mais talentosas autoras de HQ brasileiras da nova geração; com apenas 21 anos, ela tem um traço maravilhoso e uma pegada muito inteligente nos roteiros. Em 2015, ela participou de um zine de quadrinhos chamado Azul é a Cor Mais Bad com uma reflexão melancólica sobre crescer e ter que deixar certas coisas pra trás. Ela postou a HQ online e você pode lê-la (e adquirir o  zine com mais duas histórias) aqui.

Natália Schiavon

Página: Natália Schi

DORA LEROY

A Dora também participou do zine Azul é a Cor Mais Bad, mencionado acima, com uma história muito delicada e bem escrita sobre ansiedade. Confira uma das páginas desse trabalho:

Dora Leroy

Página: O Coelho da Lua

RENATA NOLASCO

A Renata tem feito um trabalho maravilhoso com tirinhas empoderadoras e feministas! Mas, como ninguém é de ferro, ela também já fez catarse através de uma boa tirinha de bad sobre pessoas tóxicas:

Renata Nolasco

Página: Atóxico/Renata Nolasco

MARIANA SALES E BIANCA XAVIER

As donas da página Sad Girls Comics vão direto ao ponto: além do roteiro dramático, o visual das suas personagens também é bem deprê, vestidas de preto e de óculos escuros enquanto falam sobre a morte e cigarros. As garotas publicam em inglês, mas elas fizeram a gentileza de traduzir um de seus trabalhos pra colaborar com este post:

Mariana Sales e Bianca Xavier

Página: Sad Girls Comics

KATSUMI GUSHIKEN

A Katsumi faz tirinhas adoráveis sobre o cotidiano e suas experiências com o amor, superação e, como não podia deixar de ser, sobre sofrência também.

Katsumi Gushiken

Página: Make Good Art

TATYANE MENENDES

A Tatyane arrasa com seu traço suave e suas tirinhas sobre cenas da vida a dois! Mas, como não dá pra falar de amor sem falar de corações despedaçados, ela fez esse trabalho maravilhoso sobre a linha do tempo de um amor que chegou ao fim:

Tatyane Menendes

Página: Porra TatyanA

ANNIMA DE MATTOS

A Annima aloprou e fez três zines inteiros sobre a bad de terminar um relacionamento e reaprender a ser só. Você pode ler todos na íntegra aqui, começando por Um Ano de Chuva, a seguir.

Página: Annima de Mattos

RENATA RINALDI

Aqui já vamos começando a ficar mais positivos, afinal, assim como os carnavais, todas as bads também tem seu fim. Por isso, a Renata fez essa mensagem adorável sobre o fim dos ciclos:

Renata Rinaldi

Página: Renata Rinaldi (página individual) e Mandíbula (página do coletivo de mulheres artistas de que participa)

CATHARINA BALTAR

E, finalmente, chegamos na Catharina, com seu traço lindo, suas cores suaves e seu recado positivo sobre como, às vezes, as coisas parecem muito piores dentro da nossa cabeça.

Catharina Baltar

Página: Catharina Baltar e Mandíbula


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Laura Athayde

Após terminar a pós graduação em Direito Tributário, em 2014, passou a dedicar-se à ilustração e ao quadrinho. Participou de diversas publicações coletivas, como o livro Desnamorados, Revista Farpa, Revista RISCA!, Antologia MÊS 2015 e Catálogo FIQ 2015. Lançou também HQs solo, algumas das quais podem ser lidas online em issuu.com/lauraathayde. Como se não bastasse fazer quadrinhos, resolveu escrever sobre eles na coluna HQ Arte do MinasNerds.