FemiTaxi – O aplicativo de taxi exclusivo para mulheres

Fundado em dezembro de 2016, o FemiTaxi é uma plataforma exclusiva para mulheres, que reúne taxistas e passageiras. Os principais objetivos do aplicativo são: oferecer preços competitivos ao mercado, aumentar a renda das taxistas e inibir o assédio contra as mulheres – infelizmente uma realidade ainda bastante comum na nossa sociedade. Atualmente, o FemiTaxi encontra-se disponível na capital paulista e em Belo Horizonte, nas versões para Android e IOS, mas a intenção é expandir-se para as principais capitais do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre) com um numero razoável de motoristas.

Vale ressaltar que o FemiTaxi não inclui motoristas particulares, apenas taxistas, e possui o apoio do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxi de São Paulo (Simtetaxis-SP). Além disso, sua cobertura também inclui mulheres trans, o que contribui para a inclusão e visibilidade desse público tão marginalizado.

Seu fundador e atual CEO, Charles-Henry Calfat, também é fundador da plataforma de crowdfunding iFunding e da imobiliária CSNegócios. Formado em administração pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), Calfat concedeu ao MinasNerds uma entrevista exclusiva na qual relata desde suas motivações para a criação do aplicativo até sua opinião acerca do feminismo, passando pelas dificuldades e repercussões encontradas a partir do lançamento da plataforma. Confira abaixo tudo isso e mais um pouco e conta pra gente: você é a favor de serviços exclusivamente femininos?

Qual foi sua motivação principal para criar um aplicativo de taxi exclusivo para mulheres?

Eu tive a ideia há cerca de dois anos. Algumas amigas reclamavam do comportamento inadequado de alguns motoristas durante as corridas. Com isso, perguntei para elas o que achavam da ideia de fazer um aplicativo que conectava taxistas mulheres com clientes mulheres. Na hora, todas acharam uma excelente iniciativa. Na época cheguei a registrar a ideia, mas me faltava experiência especialmente no setor de tecnologia.

Nos últimos meses, o tema de assédio nos transportes acabou voltando à tona e decidi que seria o momento ideal para lançar o FemiTaxi. No processo de implementação, foi divulgada uma pesquisa na qual 56% das mulheres preferiam ser conduzidas por taxistas mulheres. Este dado deu ainda mais força para o nosso aplicativo, uma vez que mensura a real demanda pelo serviço.

Você encontrou algum tipo de resistência por parte das motoristas ou das passageiras?

Do lado das passageiras, nenhuma resistência, muito pelo contrário, recebemos inúmeros emails apoiando a iniciativa. O maior desafio foi convencer uma parte das taxistas a se cadastrarem no aplicativo, pois muitas delas tiveram experiências negativas com outros apps do mercado.

Parte delas associam novos aplicativos com serviços de motorista particulares, mas no caso do FemiTaxi trabalhamos somente com taxistas. Depois das colegas aderiram e elogiarem o aplicativo, até aquelas que estavam mais resistentes decidiram entrar.

Quais feedbacks você tem recebido dos usuários do FemiTaxi e do público em geral?

Nós tivemos muitos feedbacks positivos, diversas clientes postaram fotos com as taxistas e a nota média das motoristas até agora é de 4,79/5. O FemiTaxi ganhou visibilidade também na imprensa, o que gerou uma demanda enorme. A gente chegou a receber mil pedidos em um dia só, em São Paulo. Algumas clientes, nos primeiros dias, não conseguiram uma motorista FemiTaxi, mas a maioria entendeu que ainda estávamos nos primeiros dias do aplicativo em operação.

Uma das vantagens do FemiTaxi é dar mais segurança às passageiras, evitando episódios de assédio, estupros e violências em geral. Você acredita que esse tipo de proteção será sempre necessária?  Por quê?

O FemiTaxi não é somente um serviço que inibe o assédio, a proposta é oferecer conforto e um atendimento diferenciado para as mulheres. O ideal seria que não existisse violência contra as mulheres, mas, infelizmente, a realidade é outra. Qualquer iniciativa a favor da proteção da mulher tem que ser valorizada.

Para melhorar esta situação, acredito que seja necessário investir mais em educação, termos leis mais severas e o apoio aos grupos que lutam a favor dos direitos iguais das mulheres.

Qual a sua opinião sobre o movimento feminista atual e suas pautas de reivindicações?

Eu apoio totalmente a causa. Sempre acreditei que homens e mulheres devessem ter igualdade em todos os quesitos da vida. Mas, infelizmente, as mulheres ainda ganham em média 20% menos que os homens. A ideia do FemiTaxi também é proporcionar um aumento de renda para as taxistas. Por fim, acho que todo homem deveria apoiar a causa. As mulheres são nossas mães, amigas e namoradas, e nós as amamos. Então, apoiar o bem delas é o mínimo.

Quais os objetivos futuros para o aplicativo? Quais estratégias serão usadas para alcançar esses objetivos?

Teremos muitas novidades e inovações. Não posso abrir informações sobre nossas estratégias, mas teremos novidades nas próximas semanas.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Bianca Ferreira

Psicóloga, mestranda, nerd, cosplayer, esquerdista, feminista e "defensora de bandido". Ama Frozen, Masterchef, Locoroco, Alan Moore, Nana e Zizek. Acredita que a vida é muito mais do que uma simples definição.