Chora Lombar – As dores e as delícias de ser mãe

Chora Lombar é o resultado de um projeto que foi feito com muito amor, mas também, às custas de muitas noites sem dormir, cheiro de leite azedo, medo, desespero, surpresas e muita, mas muita mesmo, dor na lombar.

Coletânea de tiras publicadas na página Mãe Solo, o trabalho de Thaíz Leão, embora retratado com muito humor, tem um objetivo que vai muito além do riso: desconstruir a romantização da maternidade, por meio de reflexões que possibilitem diálogos honestos sobre uma das fases mais complexas na vida de muitas mulheres.

Apesar de todos nós conhecermos mães e termos sido gerado por uma, há uma certa resistência de leitores habituais de quadrinhos em conhecer o trabalho de Thaiz, por isso, o público do Mãe Solo é majoritariamente formado por mães que não necessariamente consomem outras HQ.

Acho importante mencionar esse fato porque, como mãe, muitas vezes o que espero das pessoas, é um pouco de empatia em determinadas situações. Empatia só vem se você consegue se colocar no lugar do outro e os quadrinhos oferecem uma linguagem acessível para um possível diálogo.

A romantização da maternidade se refere ao fato de não falarmos abertamente sobre problemas, dúvidas, angústias que acometem as mulheres durante essa fase da vida, principalmente durante os 3 primeiros meses, período conhecido como puerpério.

Uma das coisas que a internet certamente favoreceu, foi o acesso a informações que não tínhamos até há algumas décadas. Por exemplo, eu nunca havia ouvido falar de um tal de puerperal blues ou melancolia puerperal, que é uma espécie de tristeza que acomete TODAS as mães nos primeiros 3 meses de adaptação e que, em alguns casos, pode evoluir para uma depressão pós-parto.

Esse é apenas um dos exemplos de assuntos que costumavam ser velados, mas que graças a mulheres como a Thaíz, tem sido exposto, possibilitando que mulheres tomem consciência de que várias de suas angústias e dúvidas, não são só suas.

Ler Chora Lombar é como receber um abraço de uma amiga, que lembra que você não está sozinha. Não só isso, por meio de sua página no Facebook, a quadrinista tem movimentado uma rede de mães que promovem encontros presenciais para troca de experiências, possibilitando o fortalecimento e a aproximação de mulheres que acreditavam estar sozinhas.

Thaíz Leão é designer, ilustradora e mãe do Vicente. Sua HQ foi viabilizada por meio de financiamento coletivo, mas pode ser encontrada aqui e na página do Mãe Solo no Facebook. Recentemente ela também participou de um documentário que aborda a idealização da maternidade:

 

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Dani Marino

Dani Marino é pesquisadora de Quadrinhos, integrante do Observatório de Quadrinhos da ECA/USP e da Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial - ASPAS. Formada em Letras, com habilitação Português/Inglês, atualmente cursa o Mestrado em Comunicação na Escola de Artes e Comunicação da USP. Também colabora com outros sites de cultura pop e quadrinhos como o Iluminerds, Quadro-a-Quadro, entre outros.