As melhores séries de 2017 até o momento

2017 começou com a promessa de que a produção de seriados na TV americana atingiria quase 500 novos seriados, comprovando que a #PeakTV – termo que os críticos americanos usam pra falar que “TEM SÉRIE DEMAIS PRA ACOMPANHAR, TÁ PUXADO FICAR EM DIA” – tem acontecido muito, principalmente com a Netflix lançando uma série nova por semana.

Então, onde investir nosso tempo? Como conciliar as séries que você já acompanha há alguns anos com os lançamentos?

Pensando nisso, preparamos um ranking com as melhores séries que foram ao ar em 2017 até o momento. Algumas delas estão fora do grande radar do buzz aqui no Brasil, mas fazem um louco sucesso e trazem olhares muito ricos, frescos, diversos e imperdíveis. Além de conter muitas mulheres fortes arrasando.(A lista está em ordem alfabética, porque seria injusto rankeá-las)

 

American Gods
1ª temporada

 

Para quem não conhece, essa é a história da declaração de guerra entre os velhos Deuses e o novos Deuses que habitam os Estados Unidos. Sim, essa série fez jus ao hype. Esse é um baita acerto o canal de TV Starz, que vem fazendo um lindo trabalho adaptando livros para a TV com American Gods, Outlander e The White Princess.

A série é mais um marco brilhante na trajetória do showrunner Bryan Fuller – criador de Hannibal ou Pushing Daisies –  que adaptou o romance para a TV preservando a linda característica de contador de causos de Neil, aprofundou mais alguns personagens do livro nos trouxe um casting  grandioso (em muitos sentidos) e encheu nossos olhos com uma direção de fotografia alucinante de linda.

 

Big Little Lies
1ª temporada

 

Mais um livro adaptado para TV sobre a história de 5 mulheres que mostram uma rica cidade do litoral de São Francisco e parecem ter uma vida perfeita. O que no começo pareceu uma série do tipo “Desperate Housewives: o pesadelo da reunião de pais e mestres” se tornou um drama  incrível sobre relacionamentos abusivos, que envolve um crime misterioso e possui o final catártico que precisávamos.

Big Little Lies é uma minissérie de 8 episódios que conta com um elenco maravilho com Nicole Kidman, Zoey Kravitz, Reese Witherspoon, Shailene Woodley e Laura Dern.

 

Girls
6ª temporada

 

 

Nos quase 7 anos que Girls esteve no ar, o caráter e atitudes de sua protagonista Hannah chamaram bastante atenção. Sendo assim, toda a questão sobre a última temporada, que girava em torno das protagonistas mais criticadas da TV, finalmente iria amadurecer.

E foi com essa última temporada que a criadora da série Lena Dunhan mandou todos os haters catarem coquinho não estragando suas personagens com nenhum surto de autoconsciência e arrependimento por serem quem elas são. E o mais legal, no meio de toda essa história Lena conseguiu ainda introduzir o assunto da maternidade na série sem o plot todo se tornasse uma grande maratona em busca do amadurecimento em 9 meses.

Além disso, Girls sempre foi uma série conhecida por episódios que funcionam independentes da trama principal, como se fosse um conto. Nessa temporada de despedida da série fomos presenteados com “American Bitch”, que registra todo encontro entre Hannah e um famoso escritor que foi acusado de abusar de uma fã/aluna. Se você não for assistir Girls inteira, assista pelo menos a esse episódio.

Glow
1ª temporada

 

 

Na enxurrada de séries que a Netflix vem lançando semanalmente, Glow é o único acerto deles até o momento. Eu vivo falando que a Netflix deveria se especializar em produções de séries que contam o máximo de histórias de mulheres diferentes. O formato deles é perfeito para isso!

Glow, que conta a história da produção de um programa de TV de luta-livre feminina nos anos 80 é tão rica quanto Orange is The New Black, porém é muito leve que o universo da prisão de Lichfield, permitindo trafegar pelo mundo que as personagens estão vivendo naquele momento.

 

Legion
1ª temporada

 

Legion é a adaptação do quadrinho do mesmo nome, que pertence ao universo X-Men da Marvel. Nessa história conhecemos David – interpretado por Dan Stevens – um mutante com poderes impressionantes e incontroláveis que está preso num hospital psiquiátrico.

Quem trás Legion para as telas é Noah Hawley, que falou bastante sobre o processo de criação de Legion e Fargo no SXSW que cobri em março deste ano.

 

Legion entra para a lista pois o que era para ser uma série de super-herói, rapidamente torna-se  uma série de terror de excelente qualidade e ainda nos entrega Aubrey Plaza – de Parks & Recreation – em sua maior potência.

 

Queen Sugar
2ª temporada

 

Ava Duvernay (Diretora do filme Selma) e Oprah Winfrey decidiram trazer para a TV mais um romance. Desta vez é a história de 3 irmãos, Charley, Nova e Ralph Angel, que herdam uma grande fazenda de cana de açúcar nos arredores da cidade de Nova Orleans.  

Fica aqui meu apelo: eu vou atazanar vocês até me dizerem o que estão assistido Queen Sugar. Nenhuma outra série na TV aborda a questão do racismo estrutural na sociedade americana quanto essa. Do olhar íntimo, familiar, caseiro. Inclusive é engraçado como um diretor famoso de cinema vai pra TV todos correm para falar da série, assistir, comentar, virar fã.

Queen Sugar é da Ava fucking Duvernay. O mundo mais do que deveria estar pagando um pau para esse seriado, como o faz em relação à qualquer coisinha que os diretores-homens-brancos colocam no ar por aí e que nem mereceriam tantos aplausos.

 

The Americans
5ª temporada

 

 

Se você nunca assistiu The Americans, trate de abrir seu Netflix e começar essa maratona. Trata-se da vida de dois espiões russos treinados pela KGB na época da Guerra Fria para serem cidadãos americanos perfeitos, que são infiltrados no país e executam uma série de missões de espionagem arriscadissimas – que por vezes envolvem até roubar os planos de construção da bomba atômica do governo americano – ao mesmo tempo que tem uma família, levam os filhos para a escola, convivem com os vizinhos.

Desde sua estréia, essa série continua relevante, coerente, perfeita e favorita. 2017 e The Americans com certeza terminará apontada como o melhor drama da TV (com a novidade que ela dividirá o pódio com The Handmaid’s Tale ).

The Good Fight
1ª temporada

 

 

Essa série é um spin-off de The Good Wife, que teve 7 temporadas e está entre minhas séries favoritas na vida. Porém, mesmo se você não acompanhou The Good Wife, você ainda sim pode e deve se jogar em The Good Fight que acompanha a vida de 3 mulheres:

Diane Lockhart, umas das maiores e mais respeitadas advogadas da cidade de Chicago, que decide se aposentar na firma de advocacia que construiu, mas tem seus planos interrompidos quando descobre que toda sua previdência não existe mais após seu assessor de investimentos ter dado um golpe milionário em todos seus clientes, sumindo com todo o dinheiro.

Maia Rindell, afilhada de Diane, que é recém-formada em direito e na OAB, inicia sua carreira na firma que a madrinha fundou, porém, por ser filha do assessor de investimento que deu o golpe em Diane e outros investidores de Chicago, teve toda sua vida atravessada pelo escândalo que a colocou no centro das atenções da imprensa e do FBI.

Lucca Quinn, jovem e excelente advogada que trabalha em outra famosa firma de advocacia de Chicago fundada apenas por negros e especializada em casos contra a brutalidade policial.

É nesta nova empresa de advogados que essas 3 mulheres se encontram novamente e passam a acompanhar uma das raras produções da cultura pop que retrata tão bem os desejos e ambições de mulheres, passando por questões de privilégio, meritocracia, esforço e muita feminilidade.

 

The Handmaid’s Tale
1ª temporada

 

Era pra ser apenas a adaptação do futuro distópico criado por Margaret Atwood, onde uma nova ordem política mantém todas as mulheres submissas, faz com que a série se torne a mais perturbadora da TV de tão verossimilhante à nossa realidade, que, por vezes, você tem certeza que aquilo é baseado em fatos reais. São os cuidados nas atuações, na direção, na fotografia que conferem a The Handmaid’s Tale a grandiosidade que aquela história merece, a tornando obrigatória.

 

Trial & Error
1ª temporada

 

Essa série é um pequeno presente escondido entre as comédias da TV aberta americana. Uma sátira inteligentíssima das séries de crime e True Crime que foram febre em 2016, com todas as referências que farão fãs dos gêneros chorar de rir e perceber que muitas vezes essas produções se levam à sério demais.

 

This is Us
1ª temporada

 

A série conta a incrível história da família Pearson. Originalmente formada por Jack (Milo Ventimiglia) e Rebecca (Mandy Moore) e seus 3 filhos trigêmeos: Kevin, Kate e Randall. This is Us é o mais recente fenômeno da TV americana, que é baseada apenas da dinâmica familiar entre eles e é capaz de te arrancar gargalhadas e lágrimas a cada episódio.

Eu já havia apontado ela como uma das melhores estreias de 2016 e a trago novamente aqui pelo episódio “Memphis“, que não foi focado especialmente na relação dos 3 irmãos com seu pai Jack, mas sim rápida e intensa relação de Randall e seu pai biológico William – interpretado por Ron Cephas Jones. Esse episódio é o ápice da delicadeza e sensibilidade que essa série entrega. Muitos dizem que não querem assistir porque é uma série de chorar. Eu apenas digo que você deve sim assistir porque ela é uma série de fazer sentir. Sentir qualquer emoção. Isso é TV boa, TV de qualidade, prestígio, excelente. TV que te faz sentir e não apenas assistir.

E pra vocês, quais são as melhores séries do ano até o momento? Conte para a gente lá no Twitter: @MinasNerds e @syferrari.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Sylvia Ferrari

Relações Públicas formada pela Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo com especializações em Branding e Gestão Estratégica de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Escreve e fala sobre seriados intensamente aqui nos MinasNerd e em sua newsletter The S Files.