O pacto está renovado – Resenha Coração Satânico

Por Giseli Miliozi Cervino

Segundo o próprio autor de Coração Satânico, “(…) quem poderia imaginar uma boa história onde Satã é o personagem principal?” Pois é, pode ser um sinal dos tempos, o capiroto como personagem sedutor e apaixonante, mas o exemplo supremo disso está na trama lasciva e violenta do livro homônimo que você não conseguirá largar.

O romance com título original Angel Heart, em português Coração Satânico, foi escrito em 1978 pelo nova-iorquino William Hjortsberg e relançado recentemente pela Dark Side Books, aqui no Brasil, para a nossa alegria.

O livro foi concebido a partir de um conto escrito pelo autor, e fez tanto sucesso que caiu nas graças do mestre Stephen King, que escreveu uma carta para a editora na época de seu lançamento – elogiando e dizendo que dificilmente se veria um livro como aquele. Isso é que é um aval. A partir daí, ele foi editado, as vendas explodiram e mais tarde, como bem sabemos, acabou virando filme.

A trama se passa no ano 1959, Nova York está fria, enfumaçada e a Times Square já parecia o centro pulsante do mundo com seus recém-instalados neons. O detetive particular Harry Angel é contratado por Louis Cyphre, um misterioso empresário que está à procura de um cantor chamado Johnny Favorite. E é aí, que, o que parecia ser uma forma de ganhar dinheiro facilmente, se torna uma jornada envolvendo rituais vodu, morte e sexo.

Em 1987, o livro foi adaptado para o cinema, e contou com ninguém menos que Robert De Niro na pele de Louis Cyphre, o protagonista e Mickey Rourke como o detetive Harry Angel. A direção de Alan Parker trouxe a mão de suspense perfeita. Quem assistiu ao filme primeiro, pode voltar ao livro sem se preocupar, ambas as produções são imperdíveis e em suas linguagens distintas, vale lembrar. A atmosfera e a personalidade do atormentado detetive e do diabólico empresário, foram muito respeitadas na versão cinematográfica.

Quem aqui acompanhou ou ao menos deu uma olhada na produção global, “Vá De Retro” vai atestar uma notória semelhança na retórica sedutora de Lúcifer, que também fez sua aparição na série, como também em muitas outras aparições do Sete-Peles na cultura pop. Todos eles parecem ter sido francamente inspirados no personagem de Coração Satânico. Será mera coincidência? Como será que Satã se apresentaria a nós? Provavelmente sem rabo e tridente, certamente.

Um dos grandes trunfos do livro é conseguir misturar dois gêneros diferentes, mas que se combinaram muito – o terror e o romance policial. O leitor ganhará um presente a mais: Harry Angel nos leva a uma viagem à Nova York nos anos 1950 e 60, explorando lugares, formas e impressões afetivas. Deu vontade de conhecer a arquitetura e explorar cada bar de jazz e café da Grande Maçã.

Vale destacar, como sempre, a edição PRIMOROSA da Darkside Books, com capa dura em alto-relevo, papel especial nas contracapas e tradução de primeira.

Como uma doce e fatal armadilha, a história começa morna e vai esquentando até ferver e queimar a mente e a retina, como a fumaça bruxuleante das chaminés da cidade. Vale muito a pena a leitura. Intensa, instigante, magnética. Satanás aprova.

Coração Satânico – William Hjortsberg
Editora Darkside Books
Preço sugerido: R$ 29,90


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Giseli Miliozi

Giseli Miliozi Cervino, maquiadora, jornalista e artista, escreve há um bom tempo sobre o universo feminino, moda e comportamento. Adora Star Wars, De Volta para o Futuro, e os anos 80. Acredita na máxima: “Estressada, deprimida, ok, mal vestida e sem batom, nunca!”