Elektra Essencial: guia de leitura

Tendo em vista o destaque que uma das maiores anti heroínas da Marvel teve na série OS DEFENSORES que estreou no última dia 18 de agosto no NETFLIX e levando em conta a paixão desta editora que vos escreve (expressa neste texto) pela personagem, achamos por bem fazermos um GUIA DE LEITURA da Elektra para que vocês fiquem por dentro da origem e cronologia (possível e acessível) desta densa, complicada e apaixonante personagem.

 

A Elektra de Frank Miller

 

(Demolidor – #168 a 182 e depois 190)

 

Bem, Elektra estreou em Demolidor #168, em 1980. O então novato Frank Miller tornou-se co-roteirista do título, sob a batuta do editor  Danny O’Neil, com a incumbência de fazer o título, que nunca tinha sido campeão em vendas e estava prestes a ser cancelado, se manter.

Miller fez milagre, a revista começou a vender bem e logo ele assumiu o posto de roteirista sênior. Em 1981 achou que o Demônio Atrevido deveria ter histórias mais picantes que envolvessem sexo, tragédia grega e cultura japonesa em uma mistura exótica e letal: criou uma antagonista à altura do Demolidor que ao mesmo tempo funcionava como par romântico, algo que saía completamente do óbvio em uma época onde mulheres eram meros sidekicks ou pares românticos sem graça alguma.

 

Elektra era senhora de si: uma ninja assassina mercenária que havia sido contratada pelo Rei do Crime para matar o Demônio de Hell’s Kitchen, que por acaso, havia sido o amor de sua vida. O amava, mas amava mais ainda sua liberdade de poder matar. E por isso o deixou, criando um dilema eterno, um relacionamento mal-resolvido que sempre vinha à tona quando ambos se encontravam e acabava entre tapas e beijos. Ainda nesse arco, existe interação da ninja com personagens cruciais em sua cronologia,como o vilão  Mercenário, que valem muito à pena.

(No Brasil, você pode encontrar essas histórias em – Demolidor – Frank Miller e Klaus Janson, #1, Elektra SAGA, Editora Abril 1994 – formatinho. Os Heróis mais Poderosos da Marvel – #63 -Elektra – Editora Salvat – Maiores Clássicos do Demolidor por Frank Miller  Volume 1 ‘ – Panini,, Superaventuras Marvel#100 e #6)

Sugestão: deixar só as republicações mais recentes, que é o que o leitor vai achar: Os Heróis Mais Poderosos da Terra 63 (Salvat, 2017), Demolidor Por Frank Miller & Klaus Janson 2 (Panini, 2015)

 

Demolidor – O Homem Sem Medo -por  Frank Miller  e John Romita Jr

 

Apesar de ter sido publicado bem depois do surgimento da ninja,  a história da renomada graphic novel funciona como um prequel, dando um panorama geral da origem do Demolidor, de como conheceu Elektra e da influência que a ninja teve em sua vida.

Demolidor – O Homem Sem Medo (Panini, 2017)

 

Elektra Assassina – Frank Miller e Bill Sienkiewicz

 

Bem, o que dizer? Uma obra-prima da Marvel, um dos maiores trabalhos da dupla. Uma das histórias mais incríveis, vanguardistas, politizadas e viscerais da editora. Um clássico que expõe a essência da personagem em todas as suas multifacetas. Uma obra de arte de leitura OBRIGATÓRIA.

 

Elektra Assassina (Panini, 2016)

 

Elektra Vive

 

Miller decide colocar um ponto final na história de sua personagem e isso afeta grandemente a vida de Demolidor.

 

Graphic Album (Ed. Abril, 1991), mas a Panini já prometeu uma republicação.

Séries mensais anos 90

 

Em uma opinião completamente particular, mas vinda de quem é fanática pela personagem, digo que Elektra nunca funcionou em revistas mensais. O próprio Miller já disse na penúltima Comic Con que Elektra deveria continuar morta, como em Elektra Vive  e sim, concordo. Sua personalidade foi completamente devassada, já a transformaram em justiceira, em membro de equipe (ela odeia trabalhar em equipe), em HEROÍNA (ela não é uma heroína)  em líder do Tentáculo, em mulher de dupla personalidade  e em ex-namorada maluca que volta para assombrar a vida amorosa de Matt Murdock. São raríssimas as histórias mensais, dos anos 90 para cá em que sua essência assassina, traumatizada e taciturna foi respeitada.

 

MAS, faz parte da cronologia…(ainda que confusa), então, vamos lá:

 

Caindo em Desgraça (Demolidor #319 a 332)

 

Bem, o título poderia ser auto-explicativo. Nesse arco tudo vira ao contrário, em parte consequência da saga Guerra Infinita. Demolidor e Elektra ganham contrapartes malignas e precisam enfrentá-las. Foi a volta de Elektra ressurreta ao Universo Marvel.

 

Superaventuras Marvel 164-168 (Abril, 1996)

 

Elektra: A Raiz do Mal

 

Minissérie em 4 edições escrita por Dan D.G Chichester e ilustrada por Scott McDaniel que, apesar de muita gente não gostar é bem reveladora sobre a relação entre Elektra e seu pai e sua relação com os Virtuosos. Nela, a ninja cria seu próprio clã para combater um braço do Tentáculo, a Ordem Serpentária.  Conta bastante como material biográfico da personagem.

 

Elektra: A Raiz do Mal (Abril, 1999)

 

Série mensal por Peter Milligan, Larry Hama e Mike Deodato Jr.  – Elektra #1 a #19

 

A ninja se vê envolta em tramas que testam continuamente seu “lado heróico” e inclinação assassina. Conta na cronologia como estreia em termos de título solo mensal, o primeiro da ninja.

 

Marvel 98 8-11 (Abril, 1998), Marvel 99 1-3, 11 e 12 (1999)

 

Elektra e Wolverine

 

Não tão essencial para a cronologia, mas não menos divertida  abordagem do relacionamento entre Elektra e Wolverine, à medida que os dois assassinos se encontram  durante a Saga Massacre.Elektra “treina” o mutante a domar sua porção bestial. E os dois se envolvem romanticamente. Disponível em  (Wolverine # 104 a # 105).

 

Aliás, é recomendável ler a Saga Massagre antes – Leia: Wolverine # 100, Uncanny X-Men # 332, Wolverine # 101 a # 106

 

Elektra The Scorpio Key  (#1 a 6 – 2001)

 

Arco escrito por Brian Michael Bendis e ilustrado por Chuck Austen. Aqui vale uma bela comparação entre a Elektra de Bendis e Jessica Jones, a personagem que ele desenvolveu para a HQ Alias, praticamente ao mesmo tempo em que escrevia histórias da ninja. Um dos raros casos onde uma história mensal da Elektra funcionou, porque Bendis explorou justamente a porção de espionagem e ligações ilícitas da assassina dentro do plot central.

 

Paladinos Marvel 6 a 10 (Panini, 2002)

 

Elektra de Greg Rucka: Marvel Knights  # 7 a # 22



Fase que contou com capas horríveis,, sexualizadas com a personagem objetificada e histórias capengas onde, no final, sempre tentavam REDIMIR, Elektra. Ela é uma assassina. Não quer ser redimida. Qual o problema nisso? Dispensável, mas faz parte da cronologia. Li, com raiva, mas li.

 

Paladinos Marvel 11 a 14 (Panini, 2002), Justiceiro & Elektra 1 a 12 (Panini, 2003/2004)

 

Punisher #27 – Justiceiro e Elektra-

Garth Ennis raramente erra a mão, o encontro entre os dois melhores assassinos da Marvel ficou bem interessante e picante. Mas não durou muito.

 

Justiceiro & Elektra 12 (Panini, 2004)

 

Elektra e Wolverine – The Redemeer (O Redentor)  – Greg Rucka e Yoshitaka Amano

 

Com ilustrações MAGNÍFICAS de Yoshitaka Amano e roteiro de Greg Rucka, dessa vez o Carcaju precisa caçar a ninja que sequestra uma menina que é a única testemunha de um assassinato, o que traz à mente de Elektra  lembranças de sua própria infância e da morte de seu pai. Vale a pena. Incrível.

 

Inédito no Brasil

Elektra Relentless (Implacável)  (#23 a #28) -Publicada como encadernado

Por Paul Rodi e ilustrações incríveis de Sean Chen e Rodolfo Migliari – Mais uma trama onde a ninja se redime de sua vida pregressa de crimes, tenta encontrar a paz, mas é caçada pelo Tentáculo pelas mortes que causou.

 

Demolidor 1 a 6 (Panini, 2004)

 

Elektra Frenzy (329 a #34) – Paul Rodi, Rodolfo Migliari (Não publicado no Brasil)

 

Universo Ultimate – Daredevil & Elektra – Greg Rucka

 

Tentativa da Marvel de trazer seus personagens clássicos à uma leitura mais jovem. Demolidor e Elektra tem suas origens recontadas, Elektra tem raízes latinas e mais humildes, um exercício interessante de adequação de narrativa.

 

Marvel Millennium: Homem-Aranha 20 a 23 (Panini, 2003)

 

Elektra: Tentáculo  #1 a #5 – Christian Gosset e Akira Yoshida

 

Praticamente um flashback da origem do Tentáculo e ingresso da ninja na corporação criminosa, apenas uma ponte para o próximo arco da assassina.

 

Demolidor 14 a 18 (Panini, 2005)

 

Wolverine Inimigo do Estado


A primeira história de Mark Millar para Wolverine tem uma BOA dose de Elektra, explorando bastante a ligação que Larry Hama fez entre os dois na supracitada saga MASSACRE dos anos 90

Wolverine Inimigo do Estado (Panini, 2009)

 

Demolidor – Marvel Knights #76 a 81 – Brian Michael Bendis e Alex Maleev

 

Arquivos Murdock – A fase Bendis do Demolidor foi uma das mais taciturnas e desgracentas para o herói. E Elektra não poderia ficar de fora dela, obviamente. Bendis é bem trágico, poético e sensível, mas particularmente não gosto de Elektra no papel de ex-namorada que sempre aparece para provocar o macho quando ele está finalmente se aprumando na vida. Desnecessário. Mas as histórias são boas.

 

Invasão Secreta (2006 a 2012)



Novos Vingadores # 26 to # 32 -Novos Vingadores: Illuminati # 5



Elektra se torna uma personagem importante na construção da saga Invasão Secreta da Marvel, e seu papel ganha mais clareza nas tramas. Podemos notar que Novos Vingadores está profundamente integrado ao Universo Marvel maior neste momento, então, se você realmente quer entender o que está acontecendo aqui, faria sentido reler Vingadores: A Queda.


Reinado Sombrio: Elektra # 1 a # 5



Um dos poucos arcos na cronologia da ninja assassina que finalmente remonta às suas origens em Elektra Assassina.

Viúva Negra: o  nome da rosa



Embora esta seja parcialmente apenas uma desculpa para recomendar um de meus quadrinhos prediletos da Viuva Negra,Elektra realmente desempenha um papel importante e lógico nesta história. E um encontro das duas é sempre, sempre interessante.



Demolidor: Shadowland: Heróis das Ruas  -Elektra # 1



Os eventos em Shadowland mudam completamente a vida de DD e Elektra começa a ganhar destaque a partir do #3 em diante. Boa parceria com Punh de Ferro, Luke Cage e Motoqueiro Fantasma.

 

Elektra na Marvel NOW! (de 2012 até a presente data)



Savage Wolverine – #6 a #11



Zeb Wells (Reinado Sombrio: Elektra) retorna para a Elektra nas páginas de Savage Wolverine. Além disso, chegamos a ver algumas conversas raras entre Homem-Aranha e Elektra,e elas são bastante surpreendentes.

 

Fase Thunderbolts

 

Os Thunderbolts são um grupo formado originalmente pelos super-vilões conhecidos como Mestres do Terror, que resolvem passar por um grupo de super-heróis quando Os Vingadores e outros heróis desapareceram, após a saga Massacre.

Sua última formação  tinha o objetivo de auxiliar super-equipes, com métodos nada ortodoxos, ou seja, fazendo o trabalho sujo. .O grupo que foi reunido pelo Hulk Vermelho e era formado por: Deadpool, Justiceiro, Elektra e Venom. OUTRA tentativa de transformarem Elektra em heroína: FAIL.

 

Thunderbolts #1 a #26

 

Demolidor #35 – Mark Waid e Chris Samnee

A nova fase de bem com a vida de Demolidor escrita pelo incrível Mark Waid não dá muito lugar à ninja até o número #35. Mesmo assim, não perde a leveza e o bom humor e ela faz uma aparição marcante.


Elektra # 1 a # 11 (série 2014) Blackman e Mike Del Mundo.


Como parte da segunda fase da nova série da Marvel NOW, a Elektra finalmente conseguiu outra chance em um título solo. W. Haden Blackman e Michael Del Mundo tentam ao máximo tratar a ninja com dignidade mas a maioria das histórias é lenta, apesar da arte de Del Mundo ser estonteante.

 

Pronto. Agora você pode acompanhar a trajetória da assassina mais letal da Marvel nas próximas temporadas de Demolidor e Defensores.


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Gabriela Franco

Jornalista especializada em cultura pop, produtora, cineasta e mãe da Sophia e da Valentina

Criadora do MinasNerds.