O Guerrilla Girls está no Masp – e o que isso significa

o cartaz que ilustra essa nota, uma versão da famosa pintura “A grande Odalisca” de Jean Baptiste Dominique Ingres, mas com máscara de gorila, foi publicado pela primeira em 1989 no Metropolitan Museum of Art, em protesto pelo fato de seu acervo possuir apenas  5% de artistas mulheres, sendo que 85% das obras deste mesmo acervo possuem nus femininos. A frase quer dizer: “As mulheres precisam estar nuas para entrar no Met?”.

Quem arquitetou e organizou o protesto foi o coletivo Guerrilla Girls, que há 35 anos denuncia e luta contra o machismo na arte . Tudo começou em 1985 quando as meninas decidiram vestir fantasias de gorila e invadir o MoMA (Museum of Modern Art)  por montar uma exposição onde apenas 13 de 165 artistas eram mulheres.

Agora, o MASP, (Museu de Arte de são Paulo) traz uma exposição que conta a história do coletivo através dos cartazes de protesto usados por elas ao longo desses 35 anos. E mesmo nosso museu não fica atrás no machismo nas artes: apenas 6% dos artistas de seu acervo são mulheres, sendo que mais de 60% contém nus femininos.

O Guerrilla Girls afirma combater a discriminação, agora não só contra mulheres, mas também contra a população LGBTQ, e suas integrantes JAMAIS revelam a identidade, por conta de represálias e backlash. Na verdade elas eram as “Gorillas Girls” e viraram Guerrilla Girls por conta de um lapso de uma redatora , que confundiu o nome do coletivo em uma reportagem.

As gorilas guerrilheiras já assinaram centenas de projetos artísticos, sempre em prol da igualdade de gênero, já participaram da Bienal de Veneza entre outras mostras importantes, SEMPRE criticando as instituições que as convidam.

Você pode saber mais sobre o silenciamento da mulher na arte e o Guerrilla Girls aqui. 

www.guerrillagirls.com

 GUERILLA GIRLS no Masp

MASP – Avenida Paulista 1578

R$ 30 inteira e R$ 15 meia

De terça a domingo das 10h às 18h – até 14/2/18

 

 


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Gabriela Franco

Jornalista especializada em cultura pop, produtora, cineasta e mãe da Sophia e da Valentina Criadora do MinasNerds.