Terças à noite em 1980: a complexidade da arte e das relações humanas

Molly Prentiss nasceu em Santa Cruz, Califórnia, em 1984. Terças à noite em 1980 é seu primeiro romance, mas seu currículo já é bem invejável. Possui mestrado em escrita criativa pelo California College of Arts e fez residência no Blue Mountain Center, no Vermont Studio Center e no programa Workspace do Lower Manhattan Cultural Council. Foi escolhida como escritora emergente pela Aspen Writers Foundation. Atualmente vive no Brooklyn, em Nova York, cidade na qual desembarcou aos vinte e poucos anos, assim como Lucy, personagem da trama.

O livro se inicia com a apresentação dos personagens principais. Temos então James Bennett, um sinestésico que se sente deslocado no mundo por não ver e sentir as coisas como o resto das pessoas. Ele encontra na arte uma saída para sua situação, a partir da construção de críticas que, por abordarem uma percepção totalmente única da obra, encantam o público e os editores. Ele então se torna uma figura famosa no ramo, mas gasta todo o seu dinheiro adquirindo obras de arte, o que se torna um problema quando sua mulher, Marge Hollister, descobre uma gravidez.

O jovem artista Raul Engales também nos é apresentado ao chegar em Nova York, em busca de uma nova vida. Natural da Argentina, morava em Buenos Aires com a irmã, mas precisou sair de lá depois que esta se casou com um marido que acabou destruindo os laços que existiam entre os dois. Em Nova York, através de seu charme com as mulheres, consegue clandestinamente o acesso à um estúdio de arte, um apartamento grátis para viver e passa a frequentar uma ocupação, sinônimo de festa e agitação. Os negócios vão muito bem obrigada e ele até chega a conhecer a dona de galeria que lhe traça o caminho para conseguir uma exposição, o que parece muito promissor.

Já Lucy Marie Olliason, de 21 anos, se muda para Nova York com a intenção de encontrar aventuras que não aconteciam no interior. Meio perdida e sem saber o que fazer, acaba morando num apartamento mofado e trabalhando como garçonete em um bar na Bleecker Street. Se envolve com alguns homens que se interessavam por ela, mas depois a descartavam, até que conhece o jovem Raul no ano novo. Ele a leva para conhecer a ocupação e seu apartamento, dando origem a uma história entre os dois.

A partir destes personagens e da incrível Nova York dos anos 80, a história se desenvolve repleta de relações inusitadas e reviravoltas surpreendentes. A autora escreve muito bem e se utiliza de metáforas bastante ricas, como quando compara a visão do personagem à anatomia do corpo humano. O drama se faz muito presente e se mescla com o ambiente sujo e delinquente no qual vivem Raul e Lucy, principalmente na ocupação. A arte, assim como a capacidade sinestésica de James são palpáveis. Recomendo a leitura para todos que se interessam pelo mundo da arte e por histórias que enfocam a complexidade que envolve o relacionamento humano.

 

Ficha técnica

Livro: Terças à noite em 1980

Autora: Molly Prentiss

Editora: Rocco

Ano: 2017

Páginas: 320


Os artigos aqui publicados são de total responsabilidade de suas autoras e editoras.

Bianca Ferreira

Psicóloga, mestranda em psicanálise e dona da Bianqueria.