HOJE É O DIA DA FICÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA!

HOJE É O DIA DA FICÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA!

A escolha da data

A ideia de celebrar a ficção científica brasileira com uma data comemorativa ainda é recente, mas as obras do gênero vêm de outras épocas: as primeiras obras no país datam do século XIX com narrativas apocalípticas, futuras, sátiras políticas, mundos perdidos e romances científicos.

 Um grupo de entusiastas se reuniu na Biblioteca Pública Viriato Corrêa – temática de literatura fantástica em São Paulo/SP – para propor a criação do Dia da Ficção Científica Brasileira no dia 11 de Dezembro.

A data foi escolhida em homenagem ao dia do nascimento do escritor Jeronymo Monteiro (1908-1970), conhecido no meio como pai da FC no Brasil, com a proposta de valorizar e incentivar toda a produção do gênero no país.

Jeronymo Monteiro e sua máquina de escrever

Uma breve cronologia

Esse segmento literário não tem muita popularidade como outros, mas atrai um público cativo e fiel de aficionados. Nos anos 50/60 temos a primeira onda de FC nacional, com revistas e antologias que traziam obras estrangeiras e nos anos 60/70 as publicações da Edições G.R.D. fizeram história com suas obras do gênero.

O sucesso impulsionou produções de fanzines e convenções brasileiras de ficção científica. Nos anos 80, surgem clubes e sociedades associados a obras de FC internacionais e estudos de astronomia.

A chamada segunda onda é a geração de autores brasileiros de ficção científica que sucede a geração da primeira onda, mas que não necessariamente são discípulos da mesma. Com fanzines e revistas dedicadas às publicações do gênero, a produção brasileira de ficção científica também atraiu interesse acadêmico.

Já a atual geração de escritores de ficção cientíca brasileira é a terceira onda, que começa com a transição dos fanzines para meios eletrônicos (blogs na internet e revistas eletrônicas) e publicações em editoras sem tradição no gênero.

Cena do curta metragem brasileiro “À margem do universo”

Com o surgimento das redes sociais e fóruns virtuais a divulgação desse tipo de obra começa a ganhar espaço. Fica aqui o destaque para a Editora Devir, conhecida no Brasil pelo seu trabalho na publicação de RPGs e HQs, mas que também publica romances e antologias de contos de FC.

Leitores de livros digitais, editoras de pequeno porte e gráficas de impressão a baixo custo marcam a nossa geração, e revistas eletrônicas de contos de ficção científica e fantasia e sistemas de financiamento coletivo tem lançado obras maravilhosas de autores já conhecidos e novos.

A ficção científica feminista surge aqui no país recentemente, bem como literaturas com temática afrofuturista. E temos obras grandiosas nesse segmento, a maioria delas disponíveis em livros físicos e digitais!

Fica a dica!

Voltando a celebração do dia 11 de Dezembro e a Jeronymo Monteiro, é importante perceber a preocupação dele em suas obras com a conduta humana: como um visionário, ele buscou na imagem do futuro a forma de abrir as cortinas da imaginação para a felicidade humana.

A criação de uma data comemorativa é para reconhecer a grandiosidade desse autor que procurava alertar a humanidade para o perigo da mecanização excessiva, para a perda de sentimentos (sem os quais a vida não teria sentido) e entreter e viajar para um mundo maravilhoso, fugindo das deficiências da realidade.

O blog Ficção Científica Brasileira é parte das comemorações, e conta com uma descrição muito interessante: “O planeta Brasil ainda não sabe que existem aqui dezenas de escritores produzindo uma ficção científica de alta qualidade. Se soubesse, eu não escutaria com tanta frequência a cândida interrogação: “Ficção científica brasileira, isso existe mesmo?” Existe, minha senhora. Existe, meu senhor. É principalmente pra vocês que inauguramos esteespaço colaborativo, com o propósito de oferecer aos leitores mais curiosose inquietos um ótimo cardápio de obras de FC brasuca. Invisibilidade não mais. Aventurem-se!”.

Convido vocês a lerem o catálogo do evento Mostra Sci-Fi Brasil, que contou com artigos maravilhosos e programação repleta de clássicos do sci-fi. E feliz dia da ficção científica nacional!

Juh Oliveira

Juliana de Oliveira é formada em História pela UNISA e em Ciências Sociais pela UNIMES, e cursos de extensão em Ciências Humanas pelo IICS e de Quadrinhos em Sala de Aula pela Fundação Demócrito Rocha, atuando como professora na rede municipal de São Paulo. É produtora de conteúdo de cultura pop, geek e nerd para blogs e atualmente é editora do site MinasNerds.

CONTINUE LENDO

COMPARTILHE

MAIS LIDOS