Acabou o hype? Jogos NFTs chegam no mínimo de popularidade desde 2021

Febre que dominou boa parte de 2020 e 2021, os jogos NFT se tornaram um grande marco para a indústria dos ativos digitais. No entanto, junto com o ‘inverno cripto’, não só a valorização das moedas dos Jogos Blockchain caíram, mas também sua popularidade.

De acordo com o Google Trends, ferramenta da Google usada para medir o volume de pesquisa de certos assuntos na internet, o termo Games NFT ou Games Blockchain chegaram ao seu menor número de buscas dos últimos 12 meses.

A ascensão meteórica do tema pode ser justamente um dia motivos para sua queda.

Isso porque, os jogos baseados em Tokens não fungiveis e games com Blockchain, passaram a ser um assunto mal visto pela comunidade mainstream, ou seja, o público geral.

A forma de investimento através de jogos já era contestada, no entanto, após o inverno cripto ficou ainda pior.

No entanto, não foram apenas as pessoas com pouco conhecimento sobre o assunto que colocaram em cheque os Jogos NFT. Os investidores mais cascudos, literalmente sedentos por mais jogos e moedas em busca de um “unicórnio”, caíram em buracos de prejuízo e atualmente tratam com muita cautela o tema.

Além da sucessão de problemas digitais que atingiram o mundo dos ativos digitais durante o período de 1 ano, hacks bilionários, golpes e erros catastróficos, abalaram a bolha dos jogos NFT, que necessariamente não precisou de nenhum estado ou plataforma contra o movimento, trazendo a frase que ficou famosa na comunidade “O token não fungivel é uma ameaça para o próprio NFT”.

Crise e queda de popularidade afasta grandes empresas dos Jogos NFT

A crise e a queda de popularidade dos Games NFTs não afastou apenas o grande público e usuários mais antigos, mas também projetos de empresas gigantes do ramo de Videogames que tinham planos para se mexer dentro desse espaço.

Algumas das desenvolvedoras mais tradicionais de videogame estão se recusando 100% a entrar nesse universo, como é o caso da Mojang, produtora de Minecraft e Epic Games, criadora de Fortnite.

A Epic através de Tim Sweeney, diretor da empresa, revelou seus motivos para não entrar nos jogos NFTs, tratando-os de forma discreta porém apoiando ainda sim, como os ativos de risco que de fato são.

“Os desenvolvedores devem ser livres para decidir como construir seus jogos, e você é livre para decidir se quer jogá-los. Acredito que lojas e fabricantes de sistemas operacionais não devem interferir forçando suas opiniões sobre os outros. Nós definitivamente não vamos”, declarou o desenvolvedor.

Ambas com discursos diferentes, no entanto, com o mesmo objetivo, se livrar do risco e da má fama que passa no momento os Games Blockchain/NFT.

No entanto, algumas desenvolvedoras decidiram ainda sim investir no ramo mesmo com tudo e todos contra. Como foi o caso da Ubisoft, que lançou de forma uma plataforma de venda de NFTs no jogo xxx, sendo um fracasso de usuários e engajamento.

A tendência sobre o investimento ainda é incerta, no entanto, alguns jogos NFT seguem fazendo sucesso, principalmente aqueles envolvendo esportes, como é o caso de NBA Top Shot e Sorare.

CONTINUE LENDO

COMPARTILHE

MAIS LIDOS