Uma viagem pelo corpo humano: conheça o anime Cells at Work

Você já imaginou o que acontece quando uma bactéria entra no seu corpo através de um machucado? Ou em como os glóbulos brancos lidam com corpos estranhos em nosso organismo?

Se você nunca imaginou, Cells at Work mostra de maneira épica e divertida processos que ocorrem diariamente em nosso corpo e nem nos damos conta como a cicatrização de uma ferida, o combate a bactérias, desidratação e febre.

Um pouco de história…

Cells at Work, ou Hataraku Saibou no original, é um anime de 2018 criado por Akane Shimizu que mostra as células do corpo humano de maneira antropomórfica, tendo dois protagonistas: um Glóbulo Vermelho representado por uma adolescente ruiva de cabelos curtinhos e um Neutrófilo, um rapaz branco que se veste totalmente de branco também que vivem se esbarrando em suas jornadas pelo corpo humano. Os personagens não possuem nomes, são tratados pelo nome de suas células, inclusive os protagonistas.

Além dos personagens principais existem outros personagens recorrentes como as Plaquetas que são representadas como crianças devido ao seu pequeno tamanho e trabalham sempre em equipe para construção e reparos dentro do corpo. Célula T Citotóxica, um tipo de glóbulo branco que reconhece e mata várias substâncias estranhas e células não saudáveis, sendo agressivo, arrogante e desordeiro, tendo prazer em abater patógenos e células não saudáveis. Célula Dendrítica representado como um mensageiro vestido de verde estacionado dentro de um call center semelhante a uma árvore. Macrófago, um tipo de glóbulo branco. Elas aparecem como lindas criadas em vestidos grandes, armadas com uma variedade de armas grandes para combater vários patógenos invasores, e muitas vezes são mostradas sorrindo alegremente mesmo no meio do combate.

O PLOT

Glóbulo Vermelho e Neutrófilo: personagens principais da série

A animação funciona no estilo “monstro do dia” e normalmente trás o Glóbulo Vermelho se perdendo dentro do corpo humano enquanto carrega caixas de oxigênio que deve entregar em algum setor do corpo e sendo salvo pelo Neutrófilo de alguma bactéria que entra no corpo humano e causa a destruição de algo.

Apesar da fórmula comum, a animação é bastante original com sua ambientação e personagens, trazendo algo jamais explorado antes: o funcionamento do corpo humano. É até bastante educativo, sendo possível aprender sobre o funcionamento de células, de órgãos do corpo humano, de doenças e etc. É um prato cheio pra quem está no ensino fundamental aprendendo sobre células, sendo uma maneira divertida de aprender (alô professores de biologia, que tal trocar a aula por anime?).

Plaquetas são representadas como crianças devido ao seu pequeno tamanho, Atuam como equipe de construção e reparo dentro do corpo.

A animação é muito bem produzida pelo estúdio David Production, um estúdio subsidiário da TV Fuji fundado pelo ex-presidente e produtor da Gonzo, Kōji Kajita. O estúdio é conhecido por outros trabalhos de sucesso, como Jojo’s Bizarre Adventure e a nova versão de Captain Tsubasa.

Já o mangá foi publicado na revista mensal Shounen Sirius da Kodansha em março de 2015, tendo sido licenciado na América do Norte também pela Kodansha. Por aqui, ainda não há previsão de lançamento.

Além do mangá e do anime, existe ainda uma versão on-stage da série apenas veiculada no Japão.

Divertido para os adultos, ideal para crianças e adolescentes, o anime está disponível no site de streaming de animes Crunchyroll e na Netflix. Possui uma temporada e atualmente uma segunda temporada está sendo produzida, porém segue ainda sem data de estréia.

CONTINUE LENDO

COMPARTILHE

MAIS LIDOS