Olympus; Conheça o game NFT inspirado no sucesso de Clash Royale

Na busca de atrair o público gamer para o mercado financeiro de criptomoedas, empresas do ramo têm se aproveitado do sucesso dos jogos P2E (Play-to-earn) e, mais do que isso, aproveitando também da popularidade de jogos já existentes, para assim, fazer “novos” jogos só que a diferença das mecânicas de jogar para ganhar. E foi justamente o que aconteceu com Olympus, jogo P2E com inspirações claras no sucesso mundial do gênero Tower Rush, Clash Royale.

O estilo Tower Rush, mais especificamente em 3D, presente em ambos os games, se baseia no objetivo de, com personagens únicos, destruir a torre inimiga através de uma estratégia de colocação de elementos na arena.

Tendo em vista o sucesso do gênero como um todo e principalmente do Clash Royale, que na Play Store já conta com mais de 500 milhões de downloads, o Olympus aparece como um dos jogos mais promissores de 2022 segundo apontam avaliações.

Como jogar o game NFT Olympus

Como o próprio nome já sugere, Olympus será um game Tower Rush baseado na mitologia grega, diferente do Clash Royale onde os personagens fazem parte do universo do game, em Olympus o jogador poderá montar sua equipe com deuses já conhecidos por todos.

Desenvolvido na Blockchain BNB Chain, o jogo ainda não possui data de estreia porém já conta com diversos teasers e trailers.

A criptomoeda/token que será negociada dentro do game será chamada de $OLYMP, e já pode ser reservada através da plataforma dos desenvolvedores por preços iniciais de 100 dólares, cerca de 570 reais.

A OLYMP será um token conhecido como multifuncional, já que você poderá ser usado para comprar um “boost” inicial no P2E, que favorece o lucro, além da possibilidade de votar em processos e decisões de dentro da comunidade do game.

Assim também como na grande maioria dos jogos do gênero, os personagens usados para compor a equipe são tokens não fungiveis, os NFTs. O OLYMP como moeda do Olympus, irá servir para comprar esses personagens/NFTs e junto a isso ganhar recompensas como por exemplo em apostas.

Além da OLYMP, existirá outra cripto do game com sua própria função exclusiva. A $OLYMPG, diferente da anteriormente apresentada, não terá a necessidade de ser adquirida, pois, o jogador a ganhara conforme disputar e vencer as partidas.

Essas coins serão necessárias para a abertura de baús que vão dar itens no jogo e também na melhoria de personagens, sistema comum no estilo de jogo Towe Rush.

Além disso, os desenvolvedores apostaram em uma ideia inovadora de espécie de “programa de bolsa”. Isso significa, que além de ter a possibilidade de se obter $OLYMPG ganhando suas próprias partidas, o player pode ganhar a moeda caso alguém use seu deck emprestado.

Apesar de parecer fácil a obtenção dessas criptos, o jogo apresente uma leve dificuldade em começar a consegui-las, já que, o mínimo de partidas a serem vencidas antes de começar a ganhar, são 20. Além do tempo mínimo de saque das mesmas que pode chegar a 12 dias.

Assim como a maioria dos games P2E que vem sendo lançados, o Olympus será grátis para jogar, o que permite a entrada de jogadores que só querem se divertir, sem fazer nenhum investimento ou a espera de lucros. O objetivo disso, é claro, seduzir os players “free” a se tornarem investidores, conforme forem evoluindo no jogo e percebendo que podem fazer dinheiro.

As semelhanças entre Olympus e Clash Royale

Além da dinâmica e gênero parecidos, Olympus e Clash Royale compartilham algumas outras características semelhantes entre si.

No Clash Royale, o jogador deve destruir duas torres que protegem a torre principal para ganhar o jogo, ganha aquele que destruir mais torres mais rápido, ou, quem distruir primeiro a torre principal, chamada de torre do rei.

Em Olympus, o sistema é o mesmo, só que ao invés de torres, os jogadores devem atacar/defender as icônicas colunas da arquitetura grega, antes de chegar a uma espécie de palácio representado por um Deus.

O número de cartas que é usado em ambos os jogos para montar o deck/equipe é o mesmo, 8. No entanto diferente do que é em Clash Royale, em Olympus no início os decks não serão personalizados, mantendo um padrão para todos os jogadores do mesmo nível.

Outra coincidência é claro a gratuidade, que seduz já desde 2017, era do lançamento de ‘Clash’, os milhões de jogadores que mantém o game hypado mesmo após anos de sua criação.

A expectativa dos desenvolvedores do jogo e também dos investidores do projeto, é de um ‘boom’ enorme em sua estreia, mesmo com o mercado cripto passando por uma situação difícil no momento.

CONTINUE LENDO

COMPARTILHE

MAIS LIDOS