Recomendação: Mangás de Terror e Horror japonês publicados no Brasil

Embora o Halloween já tenha passado e o Dia de Finados não chegue nem aos pés do Dia de los Muertos, fiz uma seleção de mangás terror e de horror publicados no Brasil pra aqueles que gostam do gênero mas as vezes podem não conhecer títulos ou se conhecem, não sabem por onde começar.
Se você é fã de terror e horror japonês ou busca algo novo no gênero, este artigo é pra você.

E quando falamos de horror não podemos deixar de citar o mestre do horror, Junji Ito, que claro, está em nossa lista de recomendações.

Junji Ito é um mangaká japonês cujo trabalho se inspirou nos desenhos de suas irmãs mais velhas e nas obras de ficção científicas e ficção de horror de Kazuo Umezu. Começou seu trabalho escrevendo e ilustrando mangás  como hobbie enquanto trabalhava como técnico de dentista no começo dos anos 90.

Recebeu uma menção honrosa no Kazuo Umezu Prize (sendo Umezo um dos juízes) em 1987 com o conto “Gekkan Halloween”. Mais tarde, esta foi a série que deu origem à série “Tomie”, uma crônica sobre uma garota imortal que enlouquece, literalmente, seus admiradores.

Tomie, personagem de Junji Ito

Além de Kazuo Umezu, Ito se inspira em Hideshi Hino, Shinichi Koga e Yasutaka Tsutsui, assim como em H.P.Lovecraft. No cruel universo criado por Ito, seus personagens frequentemente são vitimas de circunstâncias sobrenaturais e malignas, seja por punição por uma pequena infração, destino ou um motivo incompreensível ao leitor. Temas recorrentes de suas obras são: horror gore, organismos do fundo do mar, compulsões irracionais e a inevitabilidade da morte.

É importante ressaltar que Ito não é apenas um referência em horror no Japão, em 2019 Ito recebeu o prêmio Eisner Award pela adaptação em mangá do livro Frankenstain de Mary Shelley e até mesmo o diretor Guilhermo del Toro citou em seu Twitter que Ito foi originalmente um colaborador para o jogo Silent Hills , o qual o diretor e Hideo Kojima seriam diretores. No entanto, o jogo que seria a nona continuação da série Silent Hill foi cancelada pela Konami um ano depois.

Entre as obras de maior sucesso de Junji Ito estão, além de Tomie, Uzumaki, uma série de três volumes sobre uma cidade obcecada por espirais e Gyi, uma série de dois volumes onde os peixes são controlados por bactérias sensientes chamadas de “o fedor da morte”.

Outros trabalhos incluem “Ito Junji Kyoufu Manga Collection”, uma coleção de diferentes contos que incluem até mesmo uma paródia sobre o autor e sua esposa morando em uma casa com dois gatos chamada “Junji Ito’s Cat Diary: Yon & Mu”.

Para conhecer mais sobre as histórias de Junji Ito segue abaixo as histórias já publicadas no Brasil:

  • Fragmentos do Horror

Fragmentos do Horror é um compilado de contos que foi recentemente publicado no Brasil pela Darkside Books. Possui capa dura com verniz localizado e é, além de interessantíssima, algo lindo de se ter em uma estante, como todos os livros da Darkside. É uma ótima maneira de conhecer as histórias do autor, já que é uma coletânea de vários contos sobre variados temas. Certamente algum conto vai chamar sua atenção pela sua originalidade ou excentricidade.

  • Uzumaki

Publicado pela editora Conrad em 2006 e posteriormente pela Devir em 2018, Uzumaki conta uma série de histórias sobre uma cidade e seus habitantes que se tornam fascinados por espirais. Espirais surgem por toda a parte e a cidade é tomada pelo caos à medida que as pessoas se tornam obcecadas por estas espirais e começam a transformar a si mesmos e os ambientes em que vive em espirais, obedecendo a uma força sobrenatural.

Deixo aqui também algumas outras recomendações de mangás de terror e horror incríveis que foram publicados no Brasil:

  • Hideout – Masasumi Kakizaki 

Em uma ilha de férias supostamente idílica, Seichi Kirishima e sua esposa Miki Kirishima são impedidos de sair por uma chuva forte em algum lugar no interior da ilha. Seichi é um aspirante a escritor, pai e um marido dedicado cuja felicidade teve fim após seu editor cancelar seu contrato. Desde dia em diante, Seichi mudou e começou sua lenta descida até a escuridão. Ele está determinado a matar sua esposa para escrever seu último romance.

  • Suicide Club – Usumaru Furuya 

Esta é a macabra história do suicídio coletivo de 54 garotas, todas estudantes. Elas se atiram na frente do metrô, causando enorme comoção pública. Uma série de outras mortes de grupos espalhados por todo o país deixa a equipe do detetive Kuroda em pânico. Eles correm contra o tempo e as pistas mais atrapalham do que ajudam. Neste suspense de alto teor psicológico nada é tão simples como parece.

  • Cinderalla – Junko Mizuno
Estética “kawaii noir” de Junko Mizuno

Junko Mizuno possui um estilo “kawaii” noir, com personagens fofinhas porém sangrentas ou assustadoras. Certamente você já viu alguma estampa dela por aí e nem se deu conta.

Nesta versão psicodélica e grotesca do conto clássico, o pai e as meias-irmãs de Cinderalla são zumbis e o príncipe é um rapaz doente permanentemente ligado a um suporte de solução intravenosa.

  • Ring – Koji Suzuki, Hiroshi Tadashi e Misao Inagaki

Seguindo a mesma história do famoso filme, uma fita misteriosa que ao ser assistida faz com que a pessoa morra em sete dias a não ser que mais pessoas assistam para livrar a primeira da maldição.

  • Corpse Party: #Musume1 – Mika Orie e Makoto Kedouin

Um grupo de alunos acaba indo parar em outra dimensão enquanto organizam um evento na escola. A dimensão tem uma escola similar, porém abandonada e antiga.

Os alunos devem descobrir como sair desta dimensão antes que “a garota de vermelho” os encontre.

  • Happiness – Shuzo Oshimi

Makoto Okazaki é um garoto que sempre evita conflitos e esconde seus interesses, sem saber como se expressar. Makoto um dia é atacado e forçado a escolher entre a morte ou viver como um vampiro. Temendo a morte, Makoto escolhe se tornar um vampiro.

  • Panorama do Inferno – Hideshi Hino 

Com traços simples que destoam do gênero mangá, o leitor acompanha a vida de um pintor excêntrico que usa seu próprio sangue como tinto e tem o inferno como inspiração de sua arte através de treze retratos pintados por ele. Cada retrato conta a história de um membro de sua família, sendo um conto mais bizarro do que o outro.

  • Another  – Yukito Ayatsuji e Hiro Kiyohara 

Uma lenda urbana ronda uma escola: após o falecimento repentino de um amigo fez com que os alunos agissem como se ele ainda estivesse lá após a sua morte. Porém, no dia da formatura, o aluno apareceu na foto da turma. Depois disso, todo ano a sala de aula deve ter um aluno ao menos, do contrário, um deles se revelará como sendo um fantasma.

  • Delivery Service of Corpse 

Um grupo de cinco estudantes universitários de uma faculdade budista abrem uma empresa onde eles cumprem os últimos desejos dos falecidos. Cada um dos estudantes tem uma habilidade especial e até mesmo sobrenatural que ajudará a saber quais eram as últimas vontades do falecido.

Se você curte uma pegada mais “eroguro” (erótico com uma pegada gore) existem dois autores com publicações no Brasil:

  • Senno Knife
A arte de Senno Knife: traço shoujo para o gênero “ero gore”

Autor dos mangás Tempest e Sade, que mescla erótico com histórias bizarras com um horror leve e um traço que lembra muito o shoujo mangá. Suas histórias trazem um misto de perversão sexual com romance e horror.

Publicados pela Conrad em 2006, é apenas possível encontrar o mangá usado em sebos ou em sites como Estante Virtual e Comix.

  • Suehiro Maruo

Seus trabalhos se focam em violência gráfica extrema e em situações eróticas ou até mesmo pornográficas, o que torna o autor um grande nome do underground do mangá.

No Brasil foram publicadas três de suas obras pela editora Conrad, todas elas volumes únicos: O Vampiro que ri (2004), Ero-Goru: o Erótico Grotesco (2005), Paraíso – O Sorriso do Vampiro (2006).

Após a leitura de algum dos mangás citados aqui, recomendamos que deixe a luz acesa, só por precaução.

CONTINUE LENDO

COMPARTILHE

MAIS LIDOS